segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Charles do Bronx não resiste a Ricardo Lamas e é finalizado no UFC México 3

Após estourar o limite dos pesos-leves em 4kg, o brasileiro Charles do Bronx encarou o americano Ricardo Lamas tentando se recuperar da derrota para Anthony Pettis. Mesmo dominando o primeiro round no chão, o brasileiro não conseguiu resistir ao rival, e novamente foi finalizado com uma guilhotina aos 2m13s do segundo round.

A luta começou com Lamas buscando os chutes baixos e uma combinação de jab e direto antes de derrubar Charles do Bronx ficando por cima no chão. Especialista em jiu-jítsu, o brasileiro tentou sair para a perna do americano, que defendeu o ataque. Do Bronx pressionou Lamas na grade e conseguiu uma bela derrubada, encaixando duas vezes em seguida um triângulo de mão. O americano defendeu as duas, mas ficou em desvantagem no chão. Com as costas de Lamas dominadas, do Bronx buscava o mata-leão insistentemente, mas só conseguiu encaixar a poucos segundos do intervalo. O americano foi salvo pelo relógio.

Lamas voltou acertando um chute alto rodado logo no início do segundo round. Do Bronx absorveu o golpe e cinturou o americano, levando-o para o chão. Lamas ficou por cima no chão, na posição de 100kg, fazendo a transição para a guilhotina colado à grade. Do Bronx tentou resistir, mas o golpe foi encaixado com perfeição, e o brasileiro teve de desistir, cedendo a vitória para Ricardo Lamas.

Confira outras lutas do card principal:

Diego Sanchez mostra raça e vence o estreante Marcin Held

O estreante polonês Marcin Held não foi páreo para o veterano Diego Sanchez. No co-evento principal do UFC México 3, o peso-leve americano soube se impôr ao rival e, aproveitando-se do seu cansaço, dominou a luta e venceu por decisão unânime dos juízes (29-28, 29-28 e 29-27).

A luta começou com Sanchez tentando pressionar Held, que mantinha a calma e buscava encurtar a distância para trabalhar na luta agarrada. O americano atacava com chutes na linha de cintura, enquanto o polonês contra-atacava com bom controle de distância, e até mesmo aplicando um "rabo de arraia" da capoeira. Held conseguiu, em seguida, encaixar uma guilhotina, e Sanchez livrou-se escalando a grade e literalmente dando uma cambalhota no ar para soltar o pescoço. No fim do round, o polonês acertou um uppercut que balançou o americano.

No segundo round Marcin Held deu um mergulho em busca da perna de Sanchez, e quase encaixou uma chave de joelho. O americano livrou-se da posição com muito esforço e ficou na guarda do polonês por cima no chão. Mesmo com uma boa base do wrestling, o americano não agredia Held, que tentou buscar uma posição para inverter a situação até o intervalo.

No terceiro e último round, mesmo cansado, Marcin Held conseguiu acertar uma joelhada e um upper, e em ambas as vezes conseguiu balançar Diego Sanchez. O americano pressionava no chão, e o polonês buscava posições para tentar a finalização. Por cima no solo, Sanchez atacava o rival com socos no ground and pound. Held aparentava estar exausto, e já não conseguia executar a sua especialidade, que é o ataque aos membros inferiores. O americano manteve o domínio no chão com agressividade até o fim, e garantiu a vitória.

Martín Bravo nocauteia Claudio Puelles e vence o TUF América Latina 3

Na final do TUF América Latina 3, o peso-leve mexicano Martín Bravo levou a melhor diante do peruano Claudio Puelles. Com um boxe mais apurado, Bravo conseguiu a vitória - e o título do reality show do UFC - por nocaute técnico a 1m55s do segundo round após dois golpes de esquerda no fígado do adversário.

O combate trouxe o peruano tentando buscar a luta agarrada, enquanto o mexicano apostava na trocação. Puelles tentou algumas vezes os golpes rodados, e não conseguiu manter Bravo no chão quando teve a chance. No último minuto do primeiro round os dois lutadores buscaram uma luta mais aberta, mas nenhum dos dois levou uma vantagem clara.

Martín Bravo começou o segundo round agredindo Claudio Puelles com mais eficiência. O peruano tentava levar a luta para o chão, mas o mexicano defendia as tentativas. Com um estilo mais agressivo de luta, o mexicano acertou um golpe certeiro na linha de cintura que fez o peruano sentir e cair. Uma sequência de golpes no chão obrigou o árbitro a encerrar o combate, decretando o nocaute técnico.

Beneil Dariush vence luta morna contra Rashid Magomedov

Em uma luta pouco empolgante e muito equilibrada, o peso-leve iraniano Beneil Dariush venceu o russo Rashid Magomedov por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27 e 29-28). Em sua décima luta no UFC, Dariush conquistou a oitava vitória. Já Magomedov, que fazia sua quinta luta pela organização, sofreu a primeira derrota - a segunda em 21 combates como profissional.

A luta começou com os dois lutadores trocando chutes altos fortes. Dariush tentou derrubar Magomedov, mas ficou por baixo no chão, levantando-se rapidamente. O iraniano mantinha a tática de aplicar chutes altos constantemente para acuar o russo. Magomedov absorvia os golpes e, no fim do round, conseguiu uma derrubada, sem um grande efeito na luta.

No segundo round Dariush passou a contragolpear com eficácia os golpes de Magomedov. O russo tentava atacar o iraniano com a mesma tática com que era atacado, mas não levava vantagem, já que Dariush era mais eficiente nos chutes baixos e no clinche. Mesmo sem ser contundente, o iraniano levava vantagem sobre Magomedov. A luta não era empolgante para o público, que vaiava, mas vinha sendo disputada com muito equilíbrio.

No terceiro round os dois lutadores voltaram dispostos a se atacar. Após uma troca de chutes de ambas as partes, Magomedov travou Dariush na grade, mas o iraniano buscou o clinche do muay thai para aplicar joelhadas e agredir o russo. Os dois lutadores se mantinham na grade sem muita ação. A luta se manteve se nenhuma alteração no panorama até o fim. recebendo vaias do público presente ao evento.

Invicta, Alexa Grasso estreia no UFC com vitória sobre Heather Jo Clark

Estreante no UFC e invicta em oito lutas na carreira, a peso-palha mexicana Alexa Grasso não teve problemas para fazer a festa da torcida mexicana na luta de abertura do card principal do UFC México 3. Com maior qualidade na trocação e melhor preparo físico, a mexicana venceu a americana Heather Jo Clark por decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27 e 29-28).

A luta começou com Heather Jo Clark buscando encurtar a distância e levando a luta para a grade, mas Alexa Grasso desvencilhou-se e voltou a lutar na média distância. A mexicana sentia o nervosismo de lutar diante de sua torcida, mas aos poucos foi se acalmando na luta e passou a dominar a americana. Com uma sequência de bons golpes, ela acuou Clark e assumiu o comando do combate. Mostrando eficiência na trocação e no controle da distância, a mexicana não permitiu que a rival se sentisse confirtável até o fim do primeiro round.

No segundo round, após reclamar da sua visão durante o intervalo, Clark voltou tentando golpear Grasso para colocá-la na grade, mas a mexicana rapidamente assumiu o comando do combate, voltando a  pressionar a americana. Clark tentou encaixar uma guilhotina, mas a Grasso defendeu e se manteve em vantagem na grade. No fim do round, a americana tentou a derrubada, mas Grasso mostrou agilidade e quase encaixou uma chave de braço. Antes do fim do round, a mexicana ainda encaixou um chute na costela de Clark.

No terceiro round, em clara desvantagem na luta, a americana tentou pressionar a rival na grade mais uma vez, e novamente ficou em desvantagem. Mais inteira fisicamente, Grasso desvencilhou-se de Clark e voltou a impôr sua maior categoria na trocação. Movimentando-se melhor, a mexicana contra-atacava e evitava as investidas da já cansada americana, que partia para o ataque sem muita técnica. Grasso ainda conseguiu uma derrubada nos segundos finais, para delírio do público mexicano.





Por: Combate
Foto: Getty Images

Nenhum comentário:

Postar um comentário