segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Aldo chama McGregor de frouxo e minimiza reconquista do título: "Nunca deixei de ser campeão"

Conor McGregor precisou escolher com qual cinturão ficar. E sem pensar muito optou por deixar o posto de campeão dos penas (66 kg) de lado. Dessa forma, José Aldo voltou a ser coroado campeão da categoria, o que dominou as discussões entre os fãs de MMA, embora não pareça ter garantido nenhuma alegria extra para o brasileiro.

Após dias de silêncio, Aldo, em conversa com o site oficial do UFC no Brasil, criticou a postura do irlandês, que após vencê-lo fez três lutas fora da categoria e se negou a defender o título dos penas. Por isso, e pelas negociações com a diretoria do evento, Aldo garantiu que não ficou surpreso com a dança das cadeiras.

"Já sabia que isso aconteceria. Para mim, nunca deixei de ser campeão. Perdi aquela luta por causa de uma fatalidade. Sabia que venceria uma revanche, voltaria a ser campeão. Não tenho culpa de ele ser um cara tão frouxo, que nunca foi campeão. Não me vejo perdendo para ninguém dessa categoria ou de alguma outra", narrou.





Depois de acumular dez anos de invencibilidade, Aldo foi nocauteado por Conor no UFC 194, em dezembro de 2015, e perdeu o cinturão. Na temporada seguinte, a vitória sobre Frankie Egdar lhe garantiu o título interino, que agora será colocado em jogo entre Max Holloway e Anthony Pettis. E ao vencedor deste embate caberá o direito enfrentar o brasileiro pela unificação dos títulos.

"Não vejo nenhum problema, vou estar preparado para quem vencer. Lógico que o Pettis tem mais nome, já foi campeão, seria uma luta maior. Mas se for o outro também não tem problema, vou vencer de qualquer jeito", garantiu.

Por: UOL
Foto: Alexandre Loureiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário