terça-feira, 12 de julho de 2016

Anderson Silva perde por pontos, mas levanta a torcida com show de raça no UFC 200

Verdade seja dita, Anderson Silva tinha possivelmente o maior desafio de sua carreira. Aceitando o duelo dois dias antes, o brasileiro de 41 anos não apenas não se preparou para a disputa como encarou o campeão da categoria de cima, Daniel Cormier, que treinava para medir forças contra Jon Jones pelo cinturão dos meio-pesados (93 kg). E tudo pesou, e muito, contra o ‘Spider’ no octógono.

Tentando girar em torno do adversário e jogar no contra golpe, Anderson caiu na primeira tentativa de queda e por lá permaneceu todo o primeiro assalto. Com um ground and pound justo e preciso, Comier abriu o rosto do brasileiro, fato raro em suas disputas, e terminou o round com ampla superioridade.

Na etapa seguinte, o ex-campeão dos pesos médios (84 kg) voltou mais cansado, mas também agressivo. Tentando chutes altos e joelhadas voadoras, Anderson voltou a cair por baixo após ter sua perna agarrada em um chute pouco efetivo. E, mais uma vez, permaneceu quase todo o resto dos cinco minutos se defendendo com as costas no chão.

Apoiado pela torcida, que vibrava a cada tentativa de golpe, Anderson tentou tirar um truque da cartola na etapa final. Chute alto, cotovelada de baixo para cima e joelhadas. No entanto, nada foi eficaz o bastante para dar conta da pressão do americano, que voltou a derrubar e alternar tentativas de passagem de guarda com golpes no ground and pound.





Apesar de amplamente dominado, o brasileiro provou que, mesmo sem treinar, estava em condições de desempenhar um grande espetáculo. Por sua vez, ‘DC’ deixou a desejar, principalmente no quesito preparo físico, uma vez que teria Jon Jones pela frente, em duelo que foi cancelado após o rival de 28 anos ter sido flagrado no exame antidoping.

“Para mim, foi um desafio pessoal. Consegui colocar em prática o que desenvolvi eses anos. Se bem que não treinei, mas valeu o desafio para mim. Espero que isso sirva de exemplo para todos os brasileiros, podemos fazer tudo o que quisermos. Estou acostumado a treinar com caras mais pesados. Estou acostumado a esse tipo de pressão. Senti um pouco, mas o teste foi bom. Toda minha equipe está de parabéns. O Daniel é o campeão”.

Acompanhe os resultados do UFC 200:

Daniel Cormier venceu Anderson Silva por decisão unânime;
José Aldo venceu Frankie Edgar por decisão unânime;
Cain Velasquez nocauteou Travis Browne no 1º round;
Julianna Peña venceu Cat Zingano por decisão unânime;
Kelvin Gastelum venceu Johny Hendricks por decisão unânime;
T.J. Dillashaw venceu Raphael Assunção por decisão unânime;
Sage Northcutt venceu Enrique Marín por decisão unânime;
Joe Lauzon nocauteou Diego Sanchez no 1º round;
Gegard Mousasi nocauteou Thiago ‘Marreta’ no 1º round;
Jim Miller nocauteou Takanori Gomi no 1º round.

Por: UOL
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário