segunda-feira, 30 de novembro de 2015

José Aldo apoia Renan Barão nos penas e aprova superluta contra TJ

Atual campeão linear dos pesos-penas (até 65,8kg) do UFC, José Aldo pode em breve ter a companhia de mais um companheiro de equipe em sua divisão: o ex-campeão dos galos (até 61,2kg), Renan Barão. A subida de peso de Barão ainda não foi confirmada pelo líder da Nova União, André Pederneiras, mas o próprio lutador potiguar já admitiu a possibilidade recentemente. Indagado sobre a questão, Aldo endossou a mudança de categoria do amigo.

- Ele tem que subir de categoria. Ele tem que ir para o pena. Ele sofria bastante para bater o peso-galo, muito castigante para o corpo dele, mesmo sendo um moleque novo. Acho que a categoria de cima vai ser melhor para ele, tanto profissionalmente, na luta, como fisicamente. Por sofrer bem menos para bater o pena, vai lutar bem melhor do que no galo - afirmou o manauara, em entrevista coletiva recente no Rio de Janeiro.

Isso significaria, porém, que os dois amigos estariam dividindo a categoria, e que Barão poderia se tornar uma ameaça ao cinturão de Aldo. O potiguar já foi considerado por Dana White, presidente do UFC, como "melhor lutador peso por peso do mundo", e ostenta um cartel oficial de 33 vitórias, três derrotas e um "No Contest" (luta sem resultado). A situação não é de todo nova para José Aldo, que já tem a companhia do amigo próximo Hacran Dias na divisão. O campeão prefere não pensar ainda num eventual encontro dentro do octógono.





- Para mim, não tem problema nenhum (dividir a categoria). Eu torço para ele, para que possa (disputar o cinturão). Mas vocês estão vendo lá na frente, eu não vejo tão à frente ainda. Acho que primeiramente ele tem que se adaptar bem à categoria, não é uma categoria fácil. Pelo fato de ter perdido duas para o (TJ) Dillashaw, todo mundo já viu mais ou menos seu estilo de luta, então não sei se vai ter o mesmo êxito que teve no galo. Sempre vou torcer por ele, para que possa estar "nas cabeças", porque ele é um moleque batalhador, que merece. E aí, eu deixo para o UFC e o Dedé resolverem futuramente, já foge da minha alçada. Ainda bem!

Por outro lado, o manauara vê com bons olhos um confronto com o algoz de Renan Barão, o americano TJ Dillashaw. O atual campeão dos pesos-galos do UFC declarou repetidas vezes durante o último ano que gostaria de enfrentá-lo, e Aldo, que encara Conor McGregor no próximo dia 12 de dezembro, achou a ideia ótima.

- Se acontecer, não vejo problema nenhum. É um campeão. Não sei se ele vai passar pelo Dominick (Cruz), mas, se passar, seria uma superluta, e superluta sempre estou dentro. Sempre quero grandes lutas como essa. Quando entrei no esporte, não queria ser mais um, queria ser "o um". Se vier superluta para mim, vou adorar, treinar bastante. Tanto eu quanto ele vamos ganhar bastante com isso - disse o peso-pena, que não especificou se colocaria o cinturão em jogo neste caso.

Apesar de afirmar que sempre se interessa por lutas contra os campeões das categorias adjacentes, José Aldo afirmou ter mudado sua cabeça quanto a uma subida de peso para a categoria leve (até 70,3kg), especulada por anos. Ele disse que prefere deixar a divisão nas mãos do compatriota Rafael dos Anjos, atual campeão.

- Estive muito próximo de subir de peso, mas a negociação não foi boa e a gente deu para trás. Hoje, subir de peso, não penso, principalmente porque o título está com o Rafael. Prefiro que o Rafael seja campeão por muito tempo, pretendo que se mantenha e tire esse foco da minha subida de peso, me deixa quietinho na minha categoria (risos).

Por: Adriano Albuquerque e Marcelo Barone/Combate
Foto: Alexandre Loureiro/UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário