quarta-feira, 14 de outubro de 2015

GSP promete ajudar ex-rival Nick Diaz em caso de suspensão por maconha

A maioria dos atletas ficou revoltado com a punição imposta a Nick Diaz, flagrado pelo uso de maconha após a derrota para Anderson Silva em janeiro deste ano e condenado a cinco anos de suspensão. Enquanto alguns prometeram que farão greve contra a Comissão Atlética de Nevada e não se apresentarão mais no estado, outros manifestaram apoio ao americano através de redes sociais ou entrevistas. Foi o caso, inclusive, de um de seus antigos rivais, o canadense Georges St-Pierre.

"Pessoalmente, acho que cinco anos é muito, especialmente se você comparar o caso dele ao do Anderson Silva ou outros atletas que foram pegos trapaceando e receberam uma suspensão menor. Acho que eles quiseram usá-lo como exemplo porque ele chama atenção. Eles quiseram criar um precedente similar ao que foi feito com Marion Jones nas Olimpíadas, por exemplo", afirmou GSP, em entrevista ao site canadense RDS.

"Infelizmente, isso veio a cair sobre ele, mas acho que todos merecem uma segunda chance", completou o ex-campeão dos meio-médios (77 kg) do Ultimate, se esquecendo que essa foi a terceira vez que Diaz foi flagrado pelo uso de maconha - as outras duas foram em 2007 e 2012.

GSP defendeu que a maconha não é como anabolizantes, que ajudam a melhorar a performance do atleta. Foi com esse tipo de droga, aliás, que Anderson Silva foi flagrado na mesma luta e levou apenas um ano de suspensão por ser réu primário.

"Sim, isso é uma droga, mas acho que deveriam ter penalizações diferentes para certos produtos que os competidores usam, porque não faz sentido. Marijuana pode ajudar a pessoa que sofre de ansiedade, mas não pode fazer você fisicamente mais forte ou mais eficiente. As sanções deveriam não ser tão severas", disse.





Diaz e St-Pierre lutaram em março de 2013, quando o canadense levou a melhor por decisão unânime após cinco rounds. A luta foi cercada por muita polêmica após várias provocações do americano, mas GSP garantiu que tudo ficou dentro do octógono e promete até sair em defesa do antigo rival.

"Nick é muito carismático, ele chama muita atenção, mas não é alguém que eu odeio. Não tenho ódio por ele. Muitas coisas foram ditas antes da nossa luta, mas eram apenas coisas relacionaras ao esporte. Não levei nada para o pessoal. Precisamos de cara como ele no esporte e espero que ele retorne logo. Se eu puder ajudar de alguma forma, sem entrar em problemas, isso me deixará feliz em fazer. É alguém que eu gosto e desejo toda a sorte", completou.

Georges St-Pierre abdicou do cinturão dos meio-médios em novembro de 2013, após vencer Johny Hendricks por decisão dividida dos juízes. O canadense pediu um tempo na carreira, mas não deu prazo e nem garantias de que voltará a lutar profissionalmente, e desde então não subiu mais no octógono. A carreira do ex-campeão conta com 25 vitórias e duas derrotas.

Por: Ag. Fight
Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário