quinta-feira, 15 de outubro de 2015

Georges St-Pierre assume que pensa em voltar ao UFC ainda este ano

Após um longo período afastado do octógono, o lutador declarou, em entrevista ao Montreal´s Reseau de Sports, que está voltando a sentir vontade de competir em alto nível e que já se imagina retornando ao UFC.

"Eu estou começando a ter aquele sentimento, cada vez mais, de retornar (ao UFC). Eu assisto às lutas da minha categoria para saber o que está acontecendo e estou me mantendo em forma. É como uma faca que eu devo manter afiada apenas para caso eu decida "entrar no bolo". Não é garantido que isso não vá acontecer em 2015, ainda estou indeciso", declarou o ex-campeão.

Durante o último ano, o presidente do UFC, Dana White, declarou diversas vezes não acreditar que o canadense iria voltar a competir pela organização. Mesmo assim, o mandatário sempre deixou as portas abertas para o ex-campeão retornar ao palco onde viveu os melhores dias de sua carreira. Ciente de seu prestígio, St-Pierre salientou que segue treinando como sempre.

"Eu estou treinando forte. Como você pode ver, eu tenho alguns machucados. Eu não os obtive caindo de uma escada", brincou o lutador.

A última aparição de St-Pierre no octógono foi em novembro de 2013, pelo UFC 167. Na ocasião, o canadense superou Johny Hendricks em um duelo amplamente contestado. Após a luta, GSP declarou que iria tirar um período sabático. Porém, uma mudança nas regras do UFC pode estar motivando o atleta a voltar a competir: o novo programa de controle antidoping.

Crítico ferrenho do uso de substâncias de melhoria de performance, Georges St-Pierre destacou o trabalho que vem sendo feito pela organização para tentar "limpar" o esporte e salientou que já é possível ver algumas melhorias, mesmo sendo uma mudança recente.

"Vários dos meus arrependimentos na vida não tiveram nada a ver com coisas que fiz, mas que deixei de fazer. E, se tem uma coisa que me arrependo, é de não ter me pronunciado antes. Na verdade, eu falei durante um tempo, mas eles me ignoraram. No fim (da trajetória pelo UFC), eu já queria fazer os testes antidoping de maneira pública. Eu deveria ter insistido neste tema bem mais cedo. Eu não estou surpreso em ver certas coisas. Existem alguns lutadores cujo corpo mudou. Eles não parecem os mesmo lutadores que eram antes. Eu acho que muitas pessoas estão assustadas", declarou o ex-campeão.

O lutador ainda teceu criticas quanto ao uso de aparelhos tecnológicos na preparação dos lutadores. De acordo com St-Pierre, tal vantagem favoreceria lutadores com melhores condições financeiras.





"Nós temos que eliminar o fator tecnologia do esporte. O esporte precisa ser baseado no talento, técnica e talento atlético, e não em quem tem acesso às melhores tecnologias. Se eu treinar com uma equipe que me suporte com médicos e bioquímicos, obviamente eu terei uma vantagem gigantesca. As pessoas não imaginam, mas isso faz uma diferença gigante. Se você pegar uma pessoa e adicionar força, poder, resistência e uma nova forma de se recuperar... isso é insano", pontuou St-Pierre.

Por fim, o canadense ainda avaliou o recente problema enfrentado por seu último adversário, Johny Hendricks, que não conseguiu bater o peso para seu último confronto e precisou ser hospitalizado com pedras no rim. Na opinião de St-Pierre, está foi uma "situação infeliz", apesar de destacar que uma queda abrupta de peso pode ser prejudicial.

"Geralmente, grandes cortes de peso dependem do uso de drogas. Eu não estou acusando ninguém, mas existem substâncias usadas para cortar pesos e outras para recuperar. A ciência se desenvolveu muito", concluiu o ex-campeão.

Por: UOL Esporte
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário