quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Jon Jones admite culpa e recebe liberdade condicional de 18 meses

O lutador americano Jon Jones se declarou culpado de fugir da cena de um acidente automobilístico em abril e foi sentenciado a 18 meses de liberdade condicional, em um tribunal distrital em Albuquerque, Novo México (EUA), nesta terça-feira. Além disso, o ex-campeão peso-meio-pesado do UFC terá de cumprir 72 aparições com grupos infantis para dar palestras e educar crianças sobre evitar decisões ruins em suas vidas.

De acordo com o site "TMZ", o presidente do UFC, Dana White, estava presente no tribunal para acompanhar o julgamento do atleta, que foi destituído do cinturão dos pesos-meio-pesados da companhia após ter sua prisão ordenada pela polícia de Albuquerque devido ao seu envolvimento em um acidente de carro em abril, de cuja cena Jones fugiu a pé. O advogado do lutador disse que ele assumia "responsabilidade total" por suas ações, e fez todo o possível para reparar os danos cometidos a uma mulher grávida que se lesionou no acidente - segundo o advogado, a vítima já estava completamente recuperada das lesões. Ele ainda afirmou que o incidente foi um "erro terrível" e que serviu como um "alerta" para seu cliente.

- Estou aqui para assumir responsabilidade total pelo que aconteceu e por minhas ações. Espero que você possa me dar uma oportunidade de me redimir - disse Jon Jones à corte. Ele pediu desculpas à vítima, à corte, aos policiais envolvidos no caso e aos seus fãs, a quem disse ter "envergonhado".
Jones não foi condenado por felony (crime grave), mas terá de cumprir os termos ordenados pelo juiz. De acordo com o site "MMA Fighting", ele poderá receber nova sentença ao final dos 18 meses de liberdade condicional.

Jon Jones, 28, é amplamente considerado o melhor lutador peso por peso do mundo na atualidade. O atleta americano foi o homem mais jovem a conquistar um cinturão no UFC, ao derrotar Maurício Shogun em março de 2011 aos 23 anos e 242 dias de idade, e é recordista de defesas de cinturão bem sucedidas na categoria peso-meio-pesado (até 93kg), com oito. Contudo, "Bones" vem lidando com problemas fora do octógono há anos: em 2012, foi preso por dirigir embriagado e condenado a pagar uma multa de US$ 1.000, além de ter a carteira de motorista suspensa por seis meses; em 2014, brigou com o então desafiante número 1 Daniel Cormier no lobby do hotel MGM Grand durante um evento promocional da luta entre eles pelo UFC, e foi condenado a 40 horas de serviço comunitário, além de uma multa de US$ 50 mil. Em janeiro passado, após sua vitória por pontos sobre Cormier, foi divulgado o resultado de um exame antidoping realizado cerca de um mês antes da luta, que acusou presença de metabólitos de cocaína em seu organismo. Jones assumiu ter consumido a droga e prometeu buscar ajuda, mas passou apenas um dia numa clínica de reabilitação para dependentes químicos.





Não ficou claro se, sob os termos da liberdade condicional, seria permitido a Jon Jones voltar a lutar imediatamente. O UFC lançou comunicado oficial em que promete revisar os termos antes de considerar reinstituir o lutador ao seu elenco. Confira na íntegra:

"A organização do UFC está ciente que Jon Jones chegou a um acordo com as autoridades em Albuquerque, Novo México, nesta manhã, sobre as acusações associadas a um acidente automobilístico neste ano. Como resultado, o UFC, através da firma de direito de Las Vegas Campbell & Williams, vai revisar minuciosamente o acordo antes de discutir a possível reinstituição de Jones para retornar à competição. Mais informações serão disponibilizadas após a revisão ser completada."

Jones também enviou comunicado oficial à imprensa. Confira na íntegra abaixo:

"A respeito da decisão tomada pelo tribunal hoje, estou muito feliz em poder colocar este incidente no passado. Minhas ações causaram dor e inconveniência às vidas de outros e, por isso, sinto de verdade e aceito total responsabilidade. Venho trabalhando duro durante este tempo longe do esporte para crescer e amadurecer como homem, e para garantir que nada do tipo aconteça novamente. Aprendi demais com esta situação e estou determinado a me tornar uma pessoa melhor por causa disso. Eu peço desculpas àqueles que foram afetados por minhas ações neste incidente e estou esperançoso que receberei a oportunidade de me redimir nos olhos do público, da minha família e amigos, além dos meus apoiadores. Não tenho certeza de o que o futuro guarda para mim, mas planejo continuar a fazer o trabalho necessário para ser produtivo e bem sucedido em todos os aspectos da minha vida."

Por: Combate
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário