quarta-feira, 10 de junho de 2015

Werdum revela “saia justa” com Cain: “Ele não quis me cumprimentar”, diz

Campeão interino peso-pesado do UFC, Fabricio Werdum é conhecido pelo seu habitual bom humor e por sempre manter uma postura cordial com seus adversários. Mas na reta final de sua preparação para o duelo contra Cain Velásquez, que acontece neste sábado na Cidade do México, o brasileiro deu uma cutucada no rival, em tom de brincadeira, afirmando que se sentia mais mexicano do que ele. Foi o que bastou para tirar Velásquez do sério. O americano com ascendência mexicana não gostou do comentário do gaúcho e fez questão de deixar isso bem claro na primeira oportunidade em que os dois ficaram frente a frente.

- Muita gente diz que eu falo melhor em espanhol do que ele, e isso e aquilo, mas eu acho que o Velásquez representa o México muito bem, os pais dele são mexicanos, ele é americano. Ele até ficou bravo comigo, aconteceu uma coisa hoje (terça-feira) de manhã… Eu cheguei no café da manhã do hotel e estavam o Cain, o Daniel Cormier e o Luke Rockhold, que eu não vou muito com a cara, e eu cumprimentei o "DC", porque o conheço há muitos anos. Ele me deu um abraço normal, aí fui cumprimentar o Velásquez, como eu sempre fiz, e ele me disse, "Não, não vou te cumprimentar". Mas ele ficou meio para trás assim, sabe? E eu fiquei com a mão no ar e ele disse que eu tinha falado coisas a respeito dele, mas eu não falei mal dele, falei algumas coisas mais para promover a luta, porque a gente estava muito na amizade e tal e eu tinha que promover um pouco. Falei que ele não era mexicano, que era americano e tal, mas em nenhum momento eu o xinguei ou falei mal dele. Eu pensei que ele estava brincando no começo, porque o Cain falou que não ia me cumprimentar e ficou me olhando, então eu peguei as minhas coisas e fui tomar o meu café normal, porque eu tinha acabado de chegar, né? Também tinha acabado de acordar, não estava muito a fim de conversar. Mas, aconteceu… Então acho que isso vai dar uma apimentada na luta - revelou Werdum em entrevista ao Combate.com.

O brasileiro, que já está no México há quase um mês se preparando para a luta principal do UFC 188, disse que não entendeu muito a postura do campeão linear, até porque não se incomodou tanto com as declarações do técnico de Velásquez, Javier Mendez, que chegou a afirmar que ele apanharia mais do que Junior Cigano, caso a luta entre eles fosse até o quinto round.

- O Javier falou bastante também, mas essa coisa dele falar eu acho que foi por insegurança deles, porque ele não fala muito, e aí, de repente, começou a falar um monte de coisa, dizendo que o Cain ia me bater mais do que bateu no Cigano. Então eu acho que pode ser essa insegurança, até porque eu já tive isso. Já falei muito uma vez e perdi uma luta porque eu estava inseguro. Mas, desta vez, eu não estou falando porque estou inseguro, estou falando para promover a luta, e estou falando a verdade. Eu sempre digo que não é prepotência da minha parte, é confiança. Eu sempre digo que vou ganhar, porque não quero ser lembrado como o cara que lutou com o Velásquez e sim como o cara que enfrentou o Velásquez e venceu, se tornou o campeão.

MAIS MAGRO, MAIS RÁPIDO

Nas casas de aposta de Las Vegas, “Vai Cavalo” é considerado o azarão do combate deste sábado por uma diferença de -470 contra +400 de Velásquez. Isso significa que o apostador que investir US$ 100 (R$ 309) em Werdum, em caso de vitória do brasileiro, recebe US$ 470 (R$ 1.452,00) mais o dinheiro investido. Já o fã de Cain precisa apostar US$ 400 (R$ 1.236,00) para ter US$ 100 de lucro em caso de vitória do americano. O gaúcho, no entanto, não se incomoda com o rótulo de “zebra" e afirma que não se sente pressionado para trazer o cinturão unificado dos pesados para o Brasil:

- Eu não sinto nenhum peso para ganhar esse cinturão, tenho que vencer porque eu quero vencer. Estou treinando para isso, venho treinando há muitos anos, me esforcei muito, mudei a minha maneira de treinar. Eu era muito preguiçoso antes, não treinava de verdade. Em 2008, na primeira vez que passei pelo UFC, eu não era tão profissional. Hoje em dia, eu me sinto 100% profissional. Eu cheguei com 114 kg no México, hoje estou com 107 kg, então sinto que meu corpo mudou bastante, estou bem mais rápido, sinto que estou evoluindo bastante. Eu sei que ainda tenho que aprender muito, mas estou consciente também de que melhorei muito desde a primeira vez que passei pelo UFC. Esse peso de ter que ganhar está em cima do Cain, porque é ele quem sempre quis lutar no México, é ele quem se diz mexicano e quer lutar aqui há muitos anos. Acho que a cobrança está toda em cima dele.

A três dias do duelo, o brasileiro tenta manter a simplicidade e a rotina. Nesta terça-feira, ele fez um treino noturno na academia de Mario Delgado, em Polanco, rodeado de seus companheiros de time. Entre brincadeiras e muita risada, Werdum falou sobre as qualidades de Velásquez e arriscou dizer que o duelo não vai até o quinto round:

- Eu vejo uma luta bem difícil, porque a gente sabe que o Velásquez é um cara que vem para cima mesmo e não vai mudar o jogo dele completamente. Faz dois anos que ele não luta, não tem como ele mudar 100% o seu jogo. O Cain vai fazer o boxe, vai combinar com a parte do wrestling e vai me botar para baixo. Todo mundo fala que ele não vai fugir do chão e eu acho que ele vai querer ficar por cima mesmo. Eu vou ser bem paciente. Se puder nocautear ou finalizar antes, é óbvio que eu vou fazer isso. Mas é claro que nem sempre as coisas saem como a gente quer, então eu acho que vai ser uma luta de três ou quatro rounds. Acho que vou vencer no quarto round, com uma finalização ou alguma surpresa, quem sabe um chute rodado? - finaliza.





UFC 188
13 de junho, na Cidade do México (MEX)

CARD PRINCIPAL - 23h (de Brasília)

Peso-pesado: Cain Velásquez x Fabricio Werdum
Peso-leve: Gilbert Melendez x Eddie Alvarez
Peso-médio: Kelvin Gastelum x Nate Marquardt
Peso-pena: Charles Rosa x Yair Rodríguez
Peso-palha: Tecia Torres x Angela Hill

CARD PRELIMINAR - 19h30 (de Brasília)

Peso-mosca: Henry Cejudo x Chico Camus
Peso-leve: Drew Dober x Efrain Escudero
Peso-galo: Alejandro Pérez x Patrick Williams
Peso-leve: Johnny Case x Francisco Treviño
Peso-meio-médio: Augusto Montaño x Cathal Pendred
Peso-pena: Gabriel Benítez x Clay Collard
Peso-meio-médio: Albert Tumenov x Andrew Todhunter

Por: Evelyn Rodrigues/Combate
Foto: Reprodução UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário