terça-feira, 16 de junho de 2015

Jacaré critica escolha por Rockhold e diz que aceitaria encarar Vitor Belfort

Ronaldo Jacaré criticou a escolha de Luke Rockhold como próximo desafiante ao cinturão do peso-médio, que pertence a Chris Weidman. O atleta da X-Gym declarou, em entrevista à imprensa, em um evento promovido pelo UFC, no Rio de Janeiro, que o certo seria a organização colocá-lo para encarar o campeão da categoria.

- Eu não gostei da notícia, infelizmente, esperava ser o próximo a lutar pelo cinturão. Eu achava que o Rockhold, para lutar pelo cinturão, teria que passar por mim ou esperar minha luta pelo cinturão. Essa é a realidade, não tinha outro jeito - declarou o especialista em jiu-jítsu, sem entender por que foi preterido.

- Não sei, o UFC tem a política dele, temos que respeitar. Somos funcionários do UFC, e as coisas nem sempre funcionam como queremos. Estou pronto para trabalhar pelo UFC e feliz, apesar dessa situação me entristecer um pouco. Ele (Rockhold) não pegou tantos adversários assim, não sei por que estão falando isso. Ele pegou o Tim Boetsch que tem mais buracos no jogo que um queijo suíço. Pegou o Costas Philippou que não sabe defender queda, apesar de ter vencido em pé. Eu peguei o Okami, que na minha concepção é mais duro que esses dois, e o Mousasi, que é uma pedreira do nível do Lyoto. Ele pegou o Belfort, e eu não vou nem comentar, né? - disparou o peso-médio, em alusão ao nocaute que Vitor Belfort aplicou em Rockhold.

Jacaré adiantou que não irá esperar a definição do vencedor do confronto entre Rockhold e Weidman e, em setembro, planeja retornar ao octógono. E não descarta um duelo com Vitor Belfort, último desafiante ao título da categoria.





- Eu não nasci para esperar, nasci para lutar e ser o campeão. Poderia enfrentar, sim, o Belfort. Se ele aceitar, eu o enfrento.

Apesar de reconhecer os feitos de Chris Weidman, Ronaldo Jacaré desfez a fama de carrasco de brasileiros do campeão, que venceu Anderson Silva, Lyoto Machida e Vitor Belfort. Para comprovar sua tese, o peso-médio relembrou os reveses de "All American" no ADCC, principal torneio de grappling do mundo.

- Quem não reconhece o campeão está de bobeira (risos). Ele é muito bom no chão. Eu o vi lutando no ADCC, mas também não é "brazilian killer" (matador de brasileiros, em inglês) assim, não, porque foi finalizado no arm-lock aéreo (pelo Vinny Pezão) e perdeu para o André Galvão. Quando eu pegá-lo, vou mostrar que eu sou o campeão. Eu vou entrar para ganhar. Não entro nem para finalizar e nem nocautear. O cara que vai lutar comigo tem a certeza de que precisa brigar.

Por: Marcelo Barone, Marcelo Russio e Raphael Marinho/Combate
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário