quinta-feira, 21 de maio de 2015

Mãe revela que Belfort era chamado de 'galinho' pelo mentor Carlson Gracie

Não é nada fácil para uma mãe ver um filho de 19 anos entrar dentro de uma jaula para enfrentar adversários maiores do que ele e dispostos a aniquilá-lo em uma época onde o Vale-Tudo começava a ganhar regras e se transformar no que hoje é o MMA. Dona Jovita Vieira começou a se acostumar com isso cedo, mas nada que amenize o aperto que sente em cada luta de seu filho, Vitor Belfort. Diante da chance de ver sua cria no topo do esporte pela terceira vez na carreira, ela lembra como foi acompanhar de perto o início da trajetório do fenômeno, que 18 anos depois da primeira conquista, pode alcançar pela terceira vez o auge no Ultimate. O que ele via como azarão, Carlson Gracie, mentor de Vitor, enxergava como seu "galinho".

Neste sábado, pelo UFC 187, em Las Vegas (EUA), Vitor Belfort encara Chris Weidman pelo cinturão dos médios em confronto que pode significar um feito inédito: ele pode se tornar o primeiro lutador na história do show a conquistar títulos em três categorias diferentes. Dona Jovita relembra com carinho as primeiras lutas do filho, quando tinha de confiar nas palavras de Carlson.

- Somos realmente muito próximos. Principalmente porque fui a primeira patrocinadora dele, mão que ele encontrou para se sustentar física e emocionalmente. Sempre acreditei no esporte. Quando ninguém acreditava, fui com ele e morei por quatro anos nos EUA. Tive a felicidade de estar nas primeiras lutas dele. A primeira foi uma explosão, ninguém o conhecia, era um azarão, eu confiava nele, mas sabia que era. O Carlson foi um pai para o Vitor nessa parte. Quando um lutador queria lutas sem regras, ele falava: "Pode ser o que quiser, está valendo. Sou mais o meu galinho". Carlson gostava de brga de galo. O Vitor era o "galinho" dele, ninguém acreditava na força dele. Ele entrou, fiquei nervosa, mas deu tudo certo - revelou a mão do fenômeno, em conversa pelo telefone.
Para o duelo entre Vitor e Weidman, ela prefere não dar um palpite. O coração de mão pede apenas que o filho e seu adversário saiam do octógono o menos machucado o possível.
Quando Belfort foi campeão do UFC pela primeira vez...





- Peço sempre a vitória, sem ninguém machucado, que seja aquelas lutas bem limpas, sem sangue. Eu deixo a Deus acontecer o que ele quiser. Na realidade, nada acontece sem ele querer. Peço para a vontade dele estar de acordo com a minha (risos). Por mais preparado que o Vitor possa estar, tudo pode acontecer, sabemos como é o MMA - finalizou.

Fique ligado no LANCE! para acompanhar a cobertura completa direto de Las Vegas (EUA) para o UFC 187, que acontece neste sábado. Além de Belfort x Weidman pelo título dos médios, o show conta ainda conta com a disputa de cinturão dos meio-pesados entre Anthony Johnson e Daniel Cormier.

Confira as lutas do UFC 187

Daniel Cormier x Anthony Johnson
Chris Weidman x Vitor Belfort
Donald Cerrone x John Makdessi
Travis Browne x Andrei Arlovski
Joseph Benavidez x John Moraga

Card preliminar

John Dodson x Zach Makovsky
Josh Burkman x Dong Hyun Kim
Uriah Hall x Rafael Sapo
Rose Namajunas x Nina Ansaroff
Mike Pyle x Colby Covington
Leo Kuntz x Islam Makhachev
Josh Sampo x Justin Scoggins


Por: Luis Fernando Coutinho/LanceNET
Foto: Marcelo Alonso/PVT

Nenhum comentário:

Postar um comentário