sexta-feira, 22 de maio de 2015

"Derrota para Belfort foi a melhor coisa que me aconteceu", diz Luke Rockhold

Potencial próximo desafiante ao cinturão peso-médio do UFC, Luke Rockhold ainda sente o gosto amargo da derrota por nocaute sofrida para Vitor Belfort no UFC Jaraguá do Sul, em maio de 2013. Mas o chute rodado que interrompeu sua sequência de nove vitórias na carreira, também fez com que o lutador repensasse o seu jogo dentro do octógono.

- Para falar a verdade, eu acho que a derrota para o Vitor foi a melhor coisa que aconteceu na minha carreira. Eu não gosto do Vitor, acho que ele vem trapaceando ao longo de toda a sua carreira e ele sempre se livrou disso, de uma certa forma. Porém, eu sinceramente acho que aquilo foi a melhor coisa que já me aconteceu. Aquele chute me deu um pouco de senso, me fez repensar como eu luto mentalmente e taticamente e mudou muito o meu jogo. Sou grato por isso, foi uma experiência muito boa de aprendizado e, veja onde estou hoje, em uma posição muito boa, prestes a disputar o cinturão do UFC - declarou em entrevista ao Combate.com nos bastidores do UFC 187, em Las Vegas.

Companheiro de treinos de Cain Velásquez e Daniel Cormier na AKA (American Kickboxing Academy), o lutador está acompanhando de perto todos os detalhes do duelo entre Chris Weidman e Vitor Belfort, que definirá o futuro de sua divisão. Ele confessa, no entanto, que não sabe o que esperar do brasileiro em seu retorno ao octógono, já que Vitor não luta desde novembro de 2013.

- É difícil dizer, eu não vejo o Vitor lutar há muito tempo. Ele passou por algumas mudanças, fisicamente parece diferente. Toda vez que o vejo ele parece diferente. Eu não sei onde está a sua cabeça e o que ele tem feito no treino. Quanto tempo faz que ele não luta? Um ano e meio? Sei que o Weidman vem melhorando a cada luta e o Vitor sempre teve problemas com bons wrestlers. Weidman também se impõe muito bem dentro do octógono. Eu não sei se o Vitor sempre terá a sorte do seu lado no primeiro round, estou bem interessado em ver como as coisas vão ser.

Atual primeiro colocado no rankig peso-médio do Ultimate, Rockhold, que vem de vitória sobre Lyoto Machida no mês passado, não cogita a possibilidade de perder para Ronaldo Jacaré a chance de disputar o título em seguida. Ele também acredita que será capaz de derrotar o vencedor da co-luta principal deste sábado, independente de quem seja.

- Eu vou ser o próximo da fila. Jacaré? Vencer o Chris Camozzi não é a forma mais esperta de se conquistar uma chance ao título... Eu acho que eu venceria se enfrentasse Weidman ou Vitor. Adoraria colocar as minhas mãos no Belfort, com aquele pescoço de frango, e o Weidman é o campeão, o melhor de todos, então eu adoraria enfrentá-lo também.  Quem quer que vença me deixa em uma grande situação. Eu posso enfrentar o Weidman ou o Vitor e potencialmente espero que em Nova York. Quanto a uma segunda luta contra o Belfort, acho que seria completamente diferente. Eu fui para o Brasil, lutei lá, mas vamos trazê-lo para a Califórnia se ele vencer, venha lutar no meu território. Eu me sinto muito bem com relação a uma revanche com o Vitor e acho que posso finalizá-lo muito cedo - disparou.





UFC 187
23 de maio, em Las Vegas (EUA)

CARD PRINCIPAL

Peso-meio-pesado: Daniel Cormier  x Anthony Johnson
Peso-médio: Chris Weidman x Vitor Belfort
Peso-leve: Donald Cerrone x John Makdessi
Peso-pesado: Travis Browne x Andrei Arlovski
Peso-mosca: Joseph Benavidez x John Moraga

CARD PRELIMINAR

Peso-mosca: John Dodson x Zach Makovsky
Peso-meio-médio: Josh Burkman x Dong Hyun Kim
Peso-médio: Uriah Hall x Rafael Sapo
Peso-palha: Rose Namajunas x Nina Ansaroff
Peso-meio-médio: Mike Pyle x Colby Covington
Peso-leve: Leo Kuntz x Islam Makhachev
Peso-mosca: Josh Sampo x Justin Scoggins

Por: Evelyn Rodrigues, Marcelo Barone, Marcelo Russio/Combate
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário