terça-feira, 5 de maio de 2015

‘Cigano’ diminui provocações de Overeem: “Fala melhor do que luta”

Em sua primeira sequência de vitórias no UFC, Alistair Overeem vem desafiando um de seus mais antigos rivais para um duelo no octógono. Em entrevistas, o holandês chamou Junior ‘Cigano’ de “degrau” da divisão, mas o ex-campeão peso-pesado (120kg) não parece se incomodar com as provocações.

Em entrevista ao portal “MMA Fighting”, Cigano, que está se recuperando de cirurgias, duvidou que Overeem continuará os ataques quando o brasileiro estiver saudável novamente.

“Ele sabe que eu estou lesionado, e é por isso que ele fala essas coisas. Eu estou machucado e não posso lutar agora. Acho que ele quer se promover. Quero ver se ele fala essas coisas quando eu estiver 100% novamente. Acho que ele vai ficar quieto de novo. Mas é claro que eu não escolho oponentes. Se o UFC quiser, eu fico feliz de enfrentá-lo. Marcaram nossa luta duas vezes, e ambas foram canceladas por causa de alguma coisa que aconteceu com ele”, declarou.

A primeira luta entre os pesos-pesados (120kg) foi marcada em 2012, quando Cigano era o campeão, mas foi cancelada após Overeem ser flagrado em exame antidoping surpresa com níveis altos de testosterona. Na segunda ocasião, em 2013, o holandês se afastou do combate por conta de uma lesão.





Desde então, o brasileiro conquistou duas vitórias em três lutas, enquanto o rival venceu três em cinco. Cigano elogiou o desempenho de Overeem, mas não deixou de alfinetá-lo.

“Acho que ele foi bem, fez um bom trabalho. Ele é um bom atleta e um bom lutador, mas com certeza é melhor falando do que lutando”, declarou.

O ex-campeão afirmou que ainda precisa de três meses para poder voltar a treinar e se preparar para seu retorno. Com o longo tempo de recuperação, o lutador teve tempo de analisar as falhas em seu jogo e pensar em como exterminá-las.

“Vejo as coisas de um jeito diferente agora. Eu sempre tentei usar minhas habilidades no boxe, mas é MMA. Sei que tenho que usar minhas habilidades, mas preciso saber lutar em todas as áreas, como o Velasquez. Meu boxe sempre funcionou bem, mas o Velasquez fez um bom trabalho em evitar minha trocação. Preciso ser capaz de lutar no chão porque, como eu disse, é MMA. Aprendi que preciso ser mais paciente durante as lutas, mais focado. Acho que você aprende mais quando passa por dificuldades”, afirmou.

Por: Ag. Fight
Foto: Fernando Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário