quinta-feira, 23 de abril de 2015

Juíza de Nevada decidirá em maio se Wanderlei Silva permanece banido do MMA

O brasileiro Wanderlei Silva pode sofrer uma reviravolta em sua carreira. Banido de lutar de forma vitalícia em Nevada pela comissão atlética - que também rege os principais eventos internacionais, como o UFC -, o 'Cachorro Louco' ganhará uma nova chance para se defender.

Nesta quarta-feira (22), a juíza Kerry Earley ouviu por quase duas horas as apelações de Ross Goodman, advogado de Wand, e definiu a data de 11 de maio como limite para que ela mesma possa decidir se derruba ou não a decisão tomada pela Comissão Atlética de Nevada (NSAC). As informações são do site "MMA Junkie".





Wanderlei não compareceu ao tribunal, sendo representado pelo seu advogado. A principal questão levantada por Goodman foi a legitimidade de a NSAC exigir testes antidoping do brasileiro mesmo ele estando fora de competição.

Mesmo que a juíza opte por dar ouvido aos argumentos do advogado de Wanderlei Silva, é improvável que o ex-campeão do Pride volte a lutar. O brasileiro está em total conflito com o UFC e já declarou que se aposentou do MMA, apesar de ainda manifestar vontade de fazer aparições para promover outros eventos.

O problema com Wand aconteceu quando ele se preparava para enfrentar Chael Sonnen no UFC 175, que ocorreu em julho do ano passado. Em uma rápida passagem por Las Vegas em maio, o brasileiro foi surpreendido na academia em que treinava por membros da NSAC que o intimaram para a realização de testes antidoping surpresa. O Cachorro Louco se negou e deixou o local pela porta dos fundos.

Por: Ag. Fight
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário