sábado, 18 de abril de 2015

Fila embolada: Lyoto, Rockhold e Jacaré definem quem lutará pelo cinturão

O UFC vai a Nova Jersey neste sábado para um card em que a principal atração é a definição do futuro da categoria médio, que anda embolada pelas diversas opções na fila pelo posto de próximo desafiante. As duas principais lutas trazem quatro nomes com chance de enfrentar o vencedor da luta de maio entre Chris Weidman, o campeão da divisão, e Vitor Belfort: Lyoto Machida, Luke Rockhold e Ronaldo Jacaré que precisam vencer e convencer seus chefes.

"Mas como a categoria embolou?", você pode se perguntar. O maior "problema" está no brasileiro Ronaldo Jacaré, que é o primeiro do ranking e tecnicamente tem totais condições de lutar pelo título. Basta ver como ele venceu de forma arrasadora sete lutas seguidas, sendo quatro pelo Ultimate. Acontece que Jacaré ainda não tem uma imagem forte e foi colocado na luta coprincipal, enquanto Machida e Rockhold ocupam o protagonismo em Nova Jersey.

E ele ainda teve o azar de perder seu rival original, o que fez seu combate diminuir em importância. Jacaré enfrentaria Yoel Romero, cubano que está em grande fase. Pela segunda vez um deles se machucou - agora foi Romero - e o UFC teve de chamar às pressas um novo rival, Chris Camozzi, a quem Jacaré venceu em sua estreia no UFC.

Isto é, o azar de Jacaré combinado ao holofote jogado sobre os mais midiáticos Machida e Rockhold deram mais peso à luta principal, que tem maiores chances de definir o futuro da categoria.

Machida vem de vitória contra CB Dollaway, por nocaute, e com um bom triunfo pode mais uma vez disputar o cinturão, mesmo que seja em uma revanche com Weidman. O norte-americano venceu o brasileiro em uma luta bastante parelha, no ano passado, deixando espaço para um segundo encontro. Já Rockhold, que perdeu para Belfort em 2013, vem de três vitórias seguidas, sendo uma por nocaute e duas por finalização.

"Essa categoria é muito movimentada, com muita gente boa", explicou Lyoto, ao UOL Esporte. " Só nesse card tem eu, o Jacaré e o Rockhold que podem chegar a uma disputa de cinturão. Acho que eu tenho sim a chance de lutar pelo título de novo. Pela situação atualmente (de ranking), realmente acho que o Jacaré está na minha frente, ele está mais perto de disputar o cinturão. Mas todo mundo que subir ali [no octógono] tem chance."





Para Lyoto, sua experiência fará a diferença contra Rockhold. "Sou mais rodada, já tenho disputas de cinturão, acho que isso pode me dar vantagem", analisou. O norte-americano vem mostrando confiança, dizendo que o casamento de estilos para essa luta lhe é favorável. "Preciso apenas mostrar minhas armas, usar tudo o que tenho. Sou maior, mais forte e com mais poder e técnica", afirmou ele.

E, se Jacaré poderia ter se diminuído com a saída de Romero e uma revanche que pouco faz sentido contra Camozzi, não foi essa postura vista. Ele se colocou como número 1 na fila. "Depois da luta do Belfort contra o Weidman, sou eu com certeza. Estou na frente do Machida na fila. Em breve serei campeão dos médios do UFC, não vou falhar nessa missão", prometeu o ás do jiu-jítsu.

Sempre vale lembrar que, mesmo que o UFC defina um desafiante ao fim deste fim de semana, o resultado de Weidman x Belfort sempre pode dar margem a uma revanche imediata - causando uma nova "bagunça" na categoria.

Mais lutas: musas e Brandão

Outro combate que gera muito interesse é o que abre o card principal. As belas Paige Vanzant e Felice Herrig tiveram boas estreias no UFC e tentam a segunda vitória seguida, já despontando como possíveis desafiantes ao cinturão peso palha, apesar de não figurarem no top 5 da categoria.

O nome delas é tratado com destaque no Ultimate, pelo fato de elas terem chamado a atenção não só pelas vitórias, mas pelo desempenho junto aos fãs nas redes sociais. Felice, por exemplo, é conhecida pelas fotos sensuais e por ter criado polêmica com o jogo Mortal Kombat, acusando os criadores de usarem suas feições em uma nova personagem.

No card preliminar, o brasileiro Diego Brandão, peso pena, faz seu primeiro combate desde que encarou Conor McGregor. Ele encara Jimy Hettes e precisa se recuperar do nocaute, para ganhar paz no UFC. O manauara tem três derrotas nas suas últimas seis lutas, e já vem de dois reveses seguidos.

Brandão deveria ter lutado com Hettes em janeiro, no card de Anderson Silva x Nick Diaz, mas o rival passou mal no vestiário e a luta foi cancelada. O brasileiro quer vencer com estilo, para tentar uma revanche com McGregor.

Por: Brunno Carvalho, Jorge Corrêa e Maurício Dehò/UOL Esporte
Foto: Rodrigo Malivarni

Nenhum comentário:

Postar um comentário