segunda-feira, 20 de abril de 2015

Diego Brandão faz corte na orelha de rival e abre UFC com vitória

Por intervenção médica, o brasileiro Diego Brandão venceu o norte-americano Jimy Hettes na segunda luta do UFC on Fox 15, em New Jersey, que terá Lyoto x Rockhold como luta principal. Diego levou a vitória depois do rival sofrer um corte na orelha ainda no primeiro round, o que irritou bastante o americano.

"Se você olhasse a minha orelha eu não ia sentir nem se cortasse ela fora. Parecia brincadeira quando eu vi que a luta foi parada", disse Hettes, estimulado pelo comentarista Joe Rogan, que na hora da entrevista pós-luta ressaltou que "não entendeu" a decisão dos médicos.

As imagens mostraram um corte superficial, mas com muito sangramento. No Twitter, Dana White chegou a questionar a decisão, mas depois voltou atrás. "Você deve estar brincando comigo, New Jersey", disse o presidente do UFC em um primeiro momento. "Ok, esqueça, New Jersey, a orelha estava quebrada no meio. Boa chamada", disse o dirigente.

A vitória do lutador cearense ameniza a última imagem deixada pelo brasileiro no UFC. No ano passado, Brandão perdeu para Conor McGregor, futuro rival de José Aldo já no primeiro round. Havia sido a segunda derrota consecutiva do peso pena, que demorou um ano para voltar ao octógono e finalmente vencer.

Neste sábado, Brandão teve alguma sorte. Em um primeiro round movimentado, disputado quase todo no chão, o brasileiro acertou uma cotovelada na orelha de Hettes, que começou a sangrar. O combate seguiu até o fim da parcial, quando os médicos decidiram paralisar e dar a vitória ao cearense.

"Estava indo para o segundo round e vi o juiz fazendo o sinal. Tentei me manter ativo e batendo. Esse tipo de coisa acontece. Queria agradecr o Jimy por fazer a luta", disse Diego Brandão, um tanto quanto constrangido após o encerramento.

Hettes chegou a protestar, ficou de joelhos no octógono para lamentar e socou a grade. O instante de fúria, porém, passou rápido e o americano terminou cumprimentando Brandão.

As demais lutas do card preliminar

Na primeira luta da noite em New Jersey, Chris Dempsey bateu Eddie Gordon (à direita, na foto) em decisão dividida e polêmica. O jamaicano Gordon castigou mais o oponente na trocação na primeira metade da luta, mas cansou no fim, foi levado três vezes ao chão e acabou perdendo por pouco. Depois do anúncio ele não escondeu a frustração com os juízes.

Tim Means e George Sullivan (de frente, na foto), que entraram no octógono logo depois da vitória de Diego Brandão, também levaram a luta ao terceiro round, só que Means ficou com a vitória por submissão após aplicar uma chave no rival.

Aljamain Sterling ampliou sua invencibilidade no MMA e chegou à 11ª vitória na carreira contra o japonês Takeya Mizugaki. Depois de dominar os dois primeiros rounds, o americano garantiu sua terceira vitória no UFC com um triângulo que forçou o rival a bater a menos de dois minutos do fim.





Na antepenúltima luta do card preliminar, Gian villante conseguiu uma virada impressionante contra Corey Anderson, que mandou no combate durante os dois primeiros rounds e a metade do terceiro. Perto do fim, porém, Villante acertou um soco fortíssimo no rosto do rival, que balançou, levou mais dois golpes e terminou nocauteado.

Ovince Saint Preux, que vem de uma vitória avassaladora contra Mauricio Shogun, ganhou mais uma, desta vez contra Patrick Cummings. No primeiro round, o francês acertou um golpe no queixo do rival para derrubá-lo e conseguir o nocaute em seguida.

Na luta mais burocrática do card preliminar, Beneil Dariush venceu o veterano Jim Miller na decisão dos juízes depois de três rounds equilibrados e sem grandes golpes.

Por: UOL Esporte
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário