quarta-feira, 15 de abril de 2015

Anderson Silva entra em acordo com CBTkd e disputará seletivas olímpicas

Anderson Silva e a Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTkd) chegaram a um acordo para que o atleta participe das seletivas para as Olimpíadas de 2016. Nesta semana, o Spider enviou uma carta ao presidente da entidade se colocando à disposição para integrar a seleção brasileira, e a proposta foi bem recebida na instituição. Suspenso do UFC após ser flagrado em exame antidoping, Anderson já iniciou a preparação para a disputa interna por vagas.

Considerado um dos maiores lutadores da história do MMA, Anderson iniciou sua trajetória nas artes marciais no taekwondo e não por acaso tem em seu currículo grandes golpes provenientes da luta. Ele pesa 84 quilos e teria como principal concorrente na categoria +80kg o atleta Lucas de Oliveira.

Para os Jogos de 2016, a seleção tem quatro vagas garantidas (duas no masculino e duas no feminino) por ser sede do evento, e outras quatro podem ser conquistadas pela posição dos brasileiros no ranking. Na semana passada, a Confederação Brasileira anunciou que, após uma reunião com o Comitê Rio 2016, ficou decidido que a primeira categoria de peso contemplada seria justamente o peso-pesado masculino. As seletivas internas, que definirão os nomes em cada categoria, serão no início do ano que vem.





Suspenso do UFC após por ter sido flagrado por doping depois da luta contra Nick Diaz no UFC 183, em janeiro deste ano, Anderson seria julgado pela Comissão Atlética de Nevada em 21 de abril, mas pediu adiamento para maio. Estima-se que o lutador deva ser suspenso por um período que varia de nove meses a dois anos.

A Confederação Brasileira de Taekwondo também está monitorando essa questão. Em entrevista ao GloboEsporte.com nesta segunda-feira, o diretor técnico da seleção, Alexandre Lima, explica que, mesmo com regulamentações diferentes, o caso deve ser levado até a Agência Mundial Antidoping (WADA).

- A Comissão Atlética de Nevada não segue os critérios da WADA. Nem as mesmas substâncias são respeitados, nem os laboratórios são os credenciados. Em princípio, o doping da Comissão Atlética não é levado em consideração para a WADA. Mas, hoje, efetivamente, não foi batido o martelo, ele não teve a punição efetivada. A partir do momento que tiver, faremos uma consulta na WADA para ver a situação dele. Pelo nosso entendimento, não teria ligação. Mas faríamos uma consulta formal - explicou o diretor técnico.

Por: Marcelo Russio/Combate
Foto: Reprodução

Nenhum comentário:

Postar um comentário