terça-feira, 14 de abril de 2015

"Alguém vai sair mais feio dessa luta e vai ser o Luke Rockhold", diz Lyoto

Atual segundo colocado no ranking peso-médio do Ultimate, Lyoto Machida enfrenta, neste sábado, o dono da quarta posição, Luke Rockhold. O duelo acontece no "UFC: Machida x Rockhold", em New Jersey, nos EUA, e pode determinar o próximo desafiante ao cinturão da divisão.

O combate também vem sendo apontado pelo público feminino como o "duelo de galãs do UFC". Mas Lyoto, que assumiu ser vaidoso em entrevista ao Combate.com, prefere não ligar para o rótulo e procura se manter longe do assédio das fãs.

- Eu estou ouvindo as pessoas comentarem, mas é uma coisa que eu procuro não focar muito. Eu tento focar no que eu tenho que fazer, na minha estratégia. Nesse momento, a beleza não vai fazer diferença, não importa se o cara é boa pinta ou não. O que vai fazer a diferença é a sua técnica, o seu empenho, eu acho que é isso que a gente carrega conosco. Eu tento me tornar um lutador mais completo, cada dia mais, mas deixo esse outro lado aí para as fãs, para as pessoas que gostam e eu vou focar mais na luta mesmo. Uma coisa eu sei, quero sair do jeito que eu entrei, né? (risos). Acho que alguém vai sair mais feio nessa luta e vai ser o Luke Rockhold - diz.

A preparação para o duelo deste sábado foi um pouco diferente das que o brasileiro vinha fazendo. Além dos treinos técnicos e das sessões de sparring e jiu-jítsu, Machida focou bastante no condicionamento físico e voltou a praticar o levantamento olímpico, modalidade que também é conhecida como halterofilismo. Os movimentos testam praticamente todos os músculos do corpo, incluindo pernas, costas, ombros, braços, gripe e core.

- Eu já treinei um pouco de levantamento olímpico no passado, fiz um pouco de crossfit, fiz um pouco dessa combinação geral. Então, a gente sempre tem que buscar uma preparação ideal, mas isso varia de atleta para atleta, de pessoa para pessoa, de treinador para treinador. Eu me encontrei bastante no levantamento olímpico, porque é um treinamento que me faz sentir bem, e é um treino que eu já faço desde 2013, embora eu tenha parado algumas vezes por questões até mesmo técnicas, de não ter encontrado uma pessoa para me treinar. Mas voltei a fazer agora, tenho o meu preparador e estava fazendo cerca de duas vezes por semana, fora isso ainda tem um pouco de crossfit, que é a parte de carregar peso, pneu, correr, fazer essas coisas, para tentar simular um pouquinho a preparação da luta - explica.

Tanta dedicação se deve ao respeito que Lyoto tem pelo adversário. Ex-campeão do Strikeforce, Rockhold tem 13 vitórias e duas derrotas na carreira e vem de três triunfos seguidos sobre Michael Bisping, Tim Boetsch e Costas Philippou.





- O Luke é uma luta que, desde o ano passado, desde antes mesmo de eu enfrentar o CB Dollaway, eu tinha pedido para ter. Eu achava que realmente ele era o cara que estava credenciado para fazer uma luta mais parelha, no sentido de ranqueamento. Acho que vai ser uma grande oportunidade, tanto para mim quanto para ele, de mostrar o nosso trabalho e, quem sabe, o vencedor dessa luta não sai para uma próxima oportunidade de uma luta pelo cinturão? Se eu não me engano, a última derrota do Rockhold foi para o Vitor Belfort, em um duelo em que o Vitor o surpreendeu, mas acho que o Luke é um cara completo, já foi campeão do Strikeforce, já ganhou de vários caras de nome e é um cara que sabe lutar no chão, sabe lutar em pé, treina na AKA, que é uma academia repleta de wrestlers. Então, meu adversário é um cara muito preparado para um combate de MMA.

O clima entre Lyoto e Rockhold tem sido super cordial nos bastidores do combate, mas na época em que o duelo foi anunciado, o americano deu algumas declarações em tom de provocação ao brasileiro. Primeiro, disse que não se impressionou com a vitória de Lyoto sobre CB Dollaway. Depois, tentou levantar suspeitas sobre a equipe de Machida, a Black House, pedindo mais testes antidoping no rival por suspeitar dos métodos do time. Mas o "trash-talk" de Rockhold parou por aí. Para Lyoto, tudo não passou de uma tentativa de jogo mental, que não obteve êxito.

- Ele tentou fazer um jogo mental e também uma promoção da luta. Acho que ele quis vender mais o duelo e também quis mexer um pouco com o meu emocional, mas eu procuro respeitar bastante o meu adversário, porque venho de uma arte marcial muito tradicional, que é o caratê. Dentro do caratê existe muito o respeito. Na verdade, quando o meu adversário aceita uma luta, ele me dá é uma oportunidade de mostrar o meu trabalho, então eu não posso, de forma alguma, desmerecê-lo. Mesmo que ele perca, o que for que ele fizer, acho que tem que existir esse respeito perante ao lutador. Então, eu prefiro respeitá-lo e seguir o que eu aprendi nos meus princípios de artes marciais - finaliza.

UFC: Machida x Rockhold
18 de abril, em Newark (EUA)

CARD PRINCIPAL

Peso-médio: Lyoto Machida x Luke Rockhold
Peso-médio: Ronaldo Jacaré x Chris Camozzi
Peso-pena: Cub Swanson x Max Holloway
Peso-palha: Felice Herrig x Paige VanZant

CARD PRELIMINAR

Peso-leve: Beneil Dariush x Jim Miller
Peso-meio-pesado: Patrick Cummins x Ovince St. Preux
Peso-meio-pesado: Corey Anderson x Gian Villante
Peso-galo: Takeya Mizugaki x Aljamain Sterling
Peso-meio-médio: George Sullivan x Tim Means
Peso-pena: Diego Brandão x Jimy Hettes
Peso-médio: Chris Dempsey x Eddie Gordon

Por: Combate
Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário