quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Fedor Emelianenko: "Doping de Anderson Silva foi um tapa na cara"

E o "Último Imperador" falou. Em recente viagem aos EUA, o russo Fedor Emelianenko não poupou críticas ao brasileiro Anderson Silva pelo caso de doping em que o ex-campeão dos pesos-médios do UFC se envolveu. Fedor, tido por muitos como o maior lutador de todos os tempos, falou abertamente em entrevista na "Spike TV" sobre o assunto, e disse que o caso foi como um "tapa na cara".

- É extremamente decepcionante que um atleta do seu nível tenha decidido se apoiar nas drogas para melhorar suas performances. É um tapa na cara de todos nós, lutadores, e do esporte. Para mim, um atleta deve depender de seu talento, experiência e treinos duros, e não deve buscar atalhos entre os treinos e as vitórias usando ou dependendo de esteroides ou qualquer tipo de drogas proibidas. O mais importante é ser verdadeiro consigo mesmo e com seus fãs, que fizeram de nós quem nós somos como atletas. Mas agora, após ser flagrado por uso de drogas, Anderson Silva terá essa marca em sua carreira: a de ser alguém que usa drogas proibidas para vencer. Quando eu ainda competia, costumava correr 20km todos os dias, e depois fazia horas de treinos e sparring. Isso me fazia ter velocidade no ringue. Eu treinava tanto que às vezes era difícil me levantar, e mais difícil ainda me deitar. Hoje as pessoas parecem estar substituindo os treinos por drogas - disse o lutador, que fez 39 lutas na carreira, com 34 vitórias, quatro derrotas e uma luta sem resultado, tendo ficado incríveis dez anos invicto entre os pesos-pesados, entre 2000 e 2010.

Fedor também falou sobre o encontro que teve com Dana White em "uma ilha". O presidente do UFC estaria disposto a fazer o que fosse necessário para levar o russo para sua organização, mas, segundo Emelianenko, a postura do dirigente não o agradou.

- Só recebi a proposta de enfrentar Brock Lesnar quando já estava aposentado. Tudo tem sua hora e lugar certos para acontecer. Acho que poderia ter acontecido antes se o UFC - principalmente Dana White - tivessem me contactado e iniciado uma conversa e uma negociação para que ambas as partes chegassem a um acordo, e não algo do tipo: "Estas são as minhas regras, é pegar ou largar." Eu e Dana nos encontramos em uma ilha. Foi algo muito rápido, e não sei ao certo para que ele foi lá. Durante as conversas algumas coisas foram prometidas, mas quando vi os papeis, o que havia sido prometido não constava no documento. Houve uma longa conversa entre mim e Dana, e com os advogados dele, mas não chegamos a lugar algum. Resumindo, o que Dana disse basicamente foi: "mais cedo ou mais tarde você acabará lutando aqui. Você ainda vai aceitar o contrato que estou lhe propondo." Durante toda a minha carreira eu ouvi e li muita coisa negativa vindo de Dana White. Como você reagiria se uma pessoa que fala um monte de coisas ruins sobre você de repente muda de opinião e te convida para trabalhar para ela? O ponto não é dinheiro, mas respeito mútuo e chegarmos a um acordo. Tem que haver um diálogo.





O lutador reafirmou que segue aposentado, sem planos de voltar a lutar.

- Estou aproveitando a aposentadoria, mas continuo treinando para não perder o condicionamento físico que lutei tanto para conseguir ter. Quando lutava eu ficava muito nervoso antes de cada uma das minhas lutas. Hoje estou feliz de não ter que sentir mais isso. Se algum dia eu decidir voltar a lutar, prometo fazer uma grande coletiva e convidar todos vocês - brincou.

Por: Combate
Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário