segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Lyoto crê em nova chance de disputar cinturão em 2015: "Nada é impossível"

No próximo dia 20 de dezembro, Lyoto Machida volta ao octógono contra CB Dollaway para representar o Brasil no último evento do UFC no ano.  Atual quarto colocado no ranking da categoria, o brasileiro, que vem de derrota para Chris Weidman em luta válida pelo título no mês de julho, quer encerrar o ano com chave de ouro, já de olho em nova chance de duelar pela cinta.

- Em 2015, eu me vejo com novas chances, quem sabe até trazendo esse cinturão. No UFC nada é impossível. Às vezes você perde uma oportunidade de vencer o título, como eu perdi a luta contra o Weidman, mas, ali na frente, uma ou duas vitórias podem te colocar de novo para lutar pelo cinturão. E eu vou em busca de mais um título.

Aos 36 anos de idade, o veterano, que tem um cartel de 21 vitórias e cinco derrotas, diz que demorou um pouco para entender os erros cometidos no duelo contra Weidman. Apesar de reconhecer os méritos do americano no combate, Machida acredita que a divisão está muito densa e que, por isso, o título pode mudar de mãos a qualquer momento:

- O aprendizado é constante. Eu tento sempre aprender, tirar uma lição positiva de tudo isso, e enxergar que eu não posso me agoniar tentando entender o que aconteceu. Acho que o aprendizado é natural, a ficha vai caindo de acordo com o tempo e com as situações que a gente vai confrontando. Mas, com certeza, essa é uma luta que me ensinou bastante, principalmente na parte de corte de peso, porque eu tive uns erros nessa área. Claro que isso não é desculpa, eu estava bem preparado e, quando você está bem preparado, é porque aquilo era para acontecer.  Também acredito que o Weidman é realmente o campeão, ele merece esse cinturão, mas eu acho que todo campeão fica numa corda bamba, pois os lutadores que estão no Top 5 estão se aperfeiçoando e tentando chegar ali, então qualquer um pode vencer. É um soco que entra, uma finalização ou outra que pode ser encaixada e que pode terminar a luta de forma favorável para o oponente. Por isso que eu digo que o campeão também tem que se cuidar, tem que treinar muito para se manter no topo, porque a lista é longa de pessoas tentando de tirar do posto e isso pode acontecer a qualquer momento.





Lyoto também fez questão de ressaltar os pontos fortes de seu próximo adversário. Aos 31 anos, CB Dollaway tem um cartel de 15 vitórias e cinco derrotas e vem de triunfos sobre Francis Carmont e Cézar Mutante, este última no Brasil, em março:

- Acho que o CB Dollaway é um cara que vem numa trajetória boa, mostrando bons resultados. Fez grandes lutas no Brasil, nocauteou algumas pessoas, venceu outras e eu acho que ele tem um estilo muito característico, muito americano. É um cara que vem do wrestling, combina um pouco de socos, mas não chuta muito e tenta pontuar ali. Porém, ele não deixa de ser perigoso. Sempre, uma vez ou outra, o cara tem uma investida ali que pode ser fatal…Um estrangulamento de mão, uma guilhotina, qualquer coisa parecida. Vai ser um grande desafio e estou preparado para dar o meu melhor. Acho que vai ser um bom Natal para mim. Acredito que a preparação seja tudo. Se você se prepara bem, consequentemente, você tem uma boa luta. E eu quero ter uma grande performance, lutar no meu país, dar a vitória para o meu povo e, depois, também ter a chance de curtir o Natal por lá, pois estou morando aqui nos EUA e não passo o Natal lá há um tempão. Acho que essa será uma grande oportunidade.

Quanto ao futuro, o lutador baiano também se mostrou aberto a enfrentar Luke Rockhold. O americano tem declarado em entrevistas recentes que vai fazer questão de assistir o UFC Barueri, pois tem interesse em enfrentar Machida, caso ele vença Dollaway.

- O Luke Rockhold é um cara que vem de grandes vitórias, venceu os três últimos adversários, é um cara grande para a categoria, tem muitas qualidades. Mas eu penso um pouco diferente. Eu sou um atleta profissional e vejo isso profissionalmente. Quero enfrentar os melhores, quero estar em atividade, porque acho que isso que é importante. Na verdade, a gente é reconhecido por estar em atividade, porque consegue mostrar melhor o trabalho enquanto está lutando. Então, quanto mais vezes eu puder fazer isso no ano, se eu tiver saúde para fazer isso, eu quero fazer. Seja contra o Rockhold ou contra quem for - finalizou.

UFC: Machida x Dollaway
20 de dezembro de 2014, em Barueri (SP)

CARD PRINCIPAL

Peso-médio: Lyoto Machida x CB Dollaway
Peso-galo: Renan Barão x Mitch Gagnon
Peso-meio-pesado: Antônio Cara de Sapato x Patrick Cummins
Peso-leve: Elias Silvério x Rashid Magomedov
Peso-meio-médio: Erick Silva x Mike Rhodes
Peso-pena: Rony Jason x Tom Niinimaki

CARD PRELIMINAR

Peso-meio-pesado: Marcos Pezão x Igor Pokrajac
Peso-médio: Daniel Sarafian x Dan Miller
Peso-pena: Darren Elkins x Hacran Dias
Peso-galo: Leandro Issa x Ulka Sasaki
Peso-meio-médio: Marcio Lyoto x Tim Means
Peso-médio: Vitor Miranda x Jake Collier

Por Evelyn Rodrigues/Combate
Foto UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário