quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Sonnen compara Aldo a McGregor e critica falta de divulgação do campeão

Encerrando a carreira no MMA com um cartel de 29 vitórias e 14 derrotas, Chael Sonnen nunca foi um dos lutadores mais brilhantes do esporte. Ainda assim, o americano conseguiu fazer três disputas de títulos do UFC em duas categorias de peso diferentes, e parece disposto a dividir as táticas de usou para se tornar uma das maiores estrelas da organização.


Em entrevista ao portal “Bloody Elbow”, o falastrão usou o campeão dos pesos-pena (66kg) do UFC, José Aldo, como exemplo para falar sobre a promoção de um atleta. Segundo Sonnen, o brasileiro é um exemplo de como um lutador não deve se comportar se quiser ganhar destaque no esporte.

“Pessoalmente, eu classifico o José Aldo como o número dois no ranking peso por peso, atrás do Jon Jones. O Aldo pode até ser o número um, porque a divisão dos penas é bem mais difícil do que a dos meio-pesados. Mas o que eu quero dizer é que o Aldo é o campeão mais mal pago da história do UFC. Ele é o que menos chama a atenção, e isso é 100% sua culpa. Ele está constantemente reclamando de dinheiro, mas já liderou cards de pay per view, assim como outros campeões. Ele apenas não faz nada para manobrar a sua carreira”, disse o americano.

Dentre as dicas de Sonnen estão estratégias que o próprio falastrão usou durante sua carreira para conseguir lutas de alto calibre, tais como escolher um oponente específico e fazer lobby para lutar em cards recheados de estrelas, que certamente chamarão a atenção do público.

“Um bom exemplo é a minha luta contra o Rashad Evans. O Rashad e eu não traríamos grandes números em uma luta principal, mas somos lutadores de pay per view e precisamos lutar em grandes cards. Quando descobri que o card do aniversário de 20 anos teria uma luta entre Georges St-Pierre e Johny Hendricks, fui até um designer, paguei e fiz um pôster. Mandei um tweet para o Rashad perguntando o que ele faria em 16 de novembro, ele disse que estava livre, e então eu respondi com a imagem do pôster, que tinha nossa foto e a data. Foi ótimo. No dia seguinte, o Joe Silva (matchmaker do UFC) me deu uma bronca. Um dia depois, eu tinha um contrato para enfrentar o Rashad em 16 de novembro, no card que foi o mais assistido do ano”, revelou Sonnen.





“É preciso se arriscar um pouco. Você pode levar uma bronca do Joe Silva, mas, no fim das contas, conseguirá fazer as coisas do seu jeito. No minuto em que eu publiquei aquele pôster, todos os veículos da imprensa repercutiram. O UFC tinha duas escolhas: fazer a luta que eu já havia anunciado, ou jogar fora a publicidade que vale cinco mil dólares, mas eu fiz de graça. Era mais fácil mandar meu contrato e meu bônus de pay per view”, declarou.

Há pouco tempo, Aldo revelou ter participado de uma reunião com seu treinador e empresário, Dedé Pederneiras, para traçar estratégias de divulgação dos combates dos atletas da Nova União. Como resultado, o campeão empurrou seu desafiante, Chad Mendes, em um Media Day no Rio de Janeiro, mas demonstrou arrependimento no dia seguinte, alegando que aquele não era o seu estilo.

Entretanto, de acordo com Sonnen, o brasileiro precisa ter atitudes que direcionem mais atenção para suas defesas de título.


“O José Aldo está batendo todo mundo. Eu não estou falando tudo isso apenas para criticá-lo, mas sim porque acho que ele merece mais. Mas ele precisa buscar isso, e fazer por merecer. Ele precisa criar o interesse. Eu nem consigo contar quantas vezes tive de dizer às pessoas quem é o José Aldo e que ele é o atual campeão. As pessoas pensam que o Conor McGregor é o campeão, porque ele é o cara que mais se destaca na categoria. Tudo depende de como você administra a sua carreira, e muitos caras simplesmente não fazem nada. Às vezes eles não entendem, mas, posteriormente, vão se arrepender. O Conor McGregor entende. Para mim, ele é a próxima superestrela”, disse.

Por: Ag. Fight
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário