terça-feira, 21 de outubro de 2014

Royce Gracie aponta falta de estratégia como causa do declínio brasileiro no UFC


Único campeão brasileiro atualmente no UFC, José Aldo está escalado para defender o título contra Chad Mendes no UFC 179, no Ginásio do Maracanãzinho, Rio de Janeiro. Caso o manauara perca para o americano, o país ficaria sem títulos no Ultimate pela primeira vez em oito anos.

Ex-campeão dos médios (84kg), Anderson Silva afirmou que o Brasil está em má fase na organização porque os atletas não conseguiram acompanhar a grande evolução vista nos lutadores dos Estados Unidos. No entanto, o pioneiro do esporte Royce Gracie enxerga outra razão por trás do declínio brasileiro no Ultimate.

Em entrevista ao portal “MMA Fighting”, o Gracie afirmou que o que falta aos atletas é um melhor planejamento antes dos duelos.

“É um jogo de estratégia. Você não pode ser apenas resistente e talentoso. As pessoas fora do Brasil sabem como trabalhar a estratégia muito bem. Você precisa administrar seu oponente e o deixar fora de seu jogo. Pode parecer fácil no final, mas ele treinou muito duro para isso, para te fazer errar, e te nocautear em 30 segundos. Isso é estratégia, e acho que é isso que falta aos brasileiros”, disse.





Outra crítica do Gracie aos atletas brasileiros é a disposição de usar técnicas novas na hora do embate, mas esquecer da sua base no esporte.

“Um lutador fez jiu-jitsu, boxe ou kickboxing durante toda a vida, e quer fazer algo diferente no ringue. Se você treinou jiu-jitsu a vida inteira, por que vai querer trocar socos contra um striker na hora da luta? É por isso que eu gosto do Demian Maia e do Fabrício Werdum. O Demian vai derrubar e fazer o jogo dele. O Werdum aprendeu bastante trocação, mas nunca parou de usar o jiu-jitsu. Ele vai usar o clinch, derrubar e finalizar. É um jogo de estratégia. Não basta ser talentoso, é preciso ter estratégia”, declarou.

Por: Ag. Fight
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário