sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Felipe Sertanejo incorpora rivalidade no UFC 179: 'É Brasil x Alpha Male'

Com seis apresentações pelo Ultimate, todas atuando em solo brasileiro, Felipe Sertanejo é o segundo lutador tupiniquim que mais vezes representou o Brasil pelo evento. Mas isso só até o dia 25 de outubro, pois no UFC 179, que acontece no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro o paulista faz sua sétima luta "em casa" e se iguala ao feito de Iuri Marajó. Essa sequência de desafios no país aflora em Sertanejo um sentimento de patriotismo diante do confronto com Andrée Fili, membro da Team Alpha Male, equipe que é a maior rival da Nova União. Diante do duelo, o brasileiro "compra" o sentimento de rivalidade contra o time americano e promete show.

Em entrevista ao LANCE!Net, Sertanejo avalia a relação entre os times rivais nos últimos tempos e diz que no UFC 179 a rivalidade passar a ser Brasil x Alpha Male. O atleta acredita que esse sentimento ajuda o esporte. 

- O Fili é um cara duro. Vi umas lutas dele e sei que ele é agressivo. Sou da Chute Boxe, maior fábrica de campeões de todos os tempos. É guerra de equipe. Tenho certeza de que ele vem para a trocação, e eu vou também. Estou bem em todas as partes, me sentindo confiante. Não faço muita estratégia. Quem erra menos vence. Mas com certeza vou "comprar" essa ideia de rivalidade. 

Independente de ser Nova União ou Chute Boxe, estamos defendendo o Brasil. É Brasil contra eles. Queremos o cinturão aqui. Nas últimas vezes perdemos muito para estrangeiros, por isso a rivalidade cresceu. Mas isso é saudavel, muito interessante. Deixa o apelo para as lutas maior - declarou o lutador, em conversa por telefone.

Ao contrário da maioria dos lutadores, que sonham se apresentar pelo Ultimate em eventos no exterior devido a exposição, Felipe pensa diferente. Para ele, a sequência de lutas no Brasil não é problema. Ele até prefere.




- Eu não sinto esse clima de que se lutar lá fora é mais importante pra mim. Pelo contrário. Nesse evento, por exemplo, é cinturão do UFC sendo disputado no Brasil com José Aldo, Mauricio Shogun vai lutar em Minas... Hoje tem muito evento do UFC no Brasil por conta da boa visibilidade do país. O foco é um pouco aqui. Meus patrocinadores são todos brasileiros e não preciso disso lá fora. Estou contente. Não estou almejando isso agora. Se me botar pra lutar lá fora, ótimo. Se me botar aqui, melhor ainda - explicou o lutador.

Confira um bate-bola com Felipe Sertanejo:

Qual a expectativa para lutar no mesmo evento do Lucas Mineiro, seu companheiro de treinos?

É muito bom, pois um puxa o outro nos treinos. Quando um cansa, o outro ajuda. Ele é um amigo e estamos sempre juntos. Sei que todas as equipes falam que são família, mas duvido que alguma seja mais família que a Chute Boxe. Aqui tem espaço para todo mundo, ninguém pensa em pisar no outro.

Você tem seis lutas no UFC mas ainda não conseguiu emplacar duas vitórias consecutivas. Isso te incomoda?

Não penso muito nisso. Quero lutar bem, independente do resultado. Estou sempre treinando igual. Hoje em dia é dificil manter uma sequência. Não é algo que me deixa preocupado. Claro que quero emplacar. Quero emplacar duas, até 30 vitórias seguidas se puder (risos). Vou lutar por isso.

Qual a mensagem que você deixa para o público?

O público pode esperar o meu melhor nessa luta. Estou treinando para a vitória e vou nocautear. Podem esperar o meu melhor, independente do que acontecer, vou dar 100%. Vou trocar porrada. Vamos tentar a vitória.

Por: Luis Fernando Coutinho/Lancenet
Foto: Eduardo Mitne

Nenhum comentário:

Postar um comentário