quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Pezão afirma que saúde melhorou após proibição do TRT no MMA

Antônio Pezão era só sorrisos no evento de divulgação do UFC Brasília em São Paulo na terça-feira... Até que os jornalistas o questionaram sobre o exame antidoping no qual foi flagrado com níveis elevados de testosterona, após sua última luta, contra Mark Hunt, em dezembro do ano passado. O lutador brasileiro tinha sido autorizado a fazer uso da polêmica terapia de reposição (TRT), mas, por um erro na dosagem, acabou pego no teste. Em fevereiro, a Comissão Atlética do Estado de Nevada baniu as isenções para uso de testosterona sintética, medida que foi adotada também pela Comissão Atlética Brasileira de MMA (CABMMA).

Pezão, que sofre de uma rara condição chamada acromegalia (liberação em excesso do GH, ou hormônio do crescimento), voltou a argumentar que realmente precisava do tratamento, mas, por outro lado, admitiu que sua saúde até melhorou após parar de usar o TRT.

- Eu nunca tinha feito uso de TRT até a luta contra o Mark Hunt, foi a primeira vez que eu fiz a solicitação. Em 2006 eu fiz uma cirurgia, e depois fiz grandes lutas. Foram oito anos. Infelizmente, não tive um grande sucesso com o TRT, não foi da forma que eu esperava, mas vou trabalhar da mesma forma, suplementando com alimentação. Seria bom se eu pudesse fazer o TRT, porque meu caso não envolve vaidade, idade ou uso de anabolizantes no passado. Eu fui clinicamente testado e foi comprovado que eu tenho um distúrbio na hipófise que acelera a produção de GH e diminui a testosterona. Mas agora não adianta mais falar. Não pode, e vamos lutar sem o tratamento. Minha saúde, para falar a vedade, melhorou. Muita gente toma GH para estar bem na luta. O meu GH já é alto naturalmente, e isso faz a minha recuperação de lesões ser mais rápida. Meu problema vai me afetar aos 50, 60 anos. Hoje é até bom - disse o lutador.





Por outro lado, Pezão ainda não superou completamente a mágoa com Márcio Tannure, diretor médico da CABMMA, a quem acusou de ser responsável por ter tomado a dosagem errada de testosterona na semana da luta contra Hunt. Ele lançou muitas farpas via internet na direção do médico, mas diminuiu o volume das reclamações nos últimos meses.

- Tannure para mim é página virada. Se eu o vir hoje, é como se eu nunca tivesse conhecido. Não quero o mal dele, mas não tenho o carinho que eu tinha. O importante é pensar daqui para frente. Aconteceu muita coisa que me revoltou e me deixou muito chateado. Mas agora eu vou pensar só no Arlovski. Meus pais me ensinaram que aqui se faz, aqui se paga. Não é em outro mundo nem em outra vida. É aqui. Cada um vai viver sua vida, mas tenho certeza que eu não errei. Não penso em processá-lo, não fui autorizado a fazer isso - comentou.

UFC: Pezão x Arlovski
13 de setembro, em Brasília (DF)
 
CARD PRINCIPAL
 

Peso-pesado: Antônio Pezão x Andrei Arlovski
Peso-leve: Gleison Tibau x Piotr Hallmann
Peso-leve: Léo Santos x Lukasz Sajewski
Peso-meio-médio: Serginho Moraes x Santiago Ponzinibbio
Peso-galo: Iuri Marajó x Russell Doane
Peso-galo: Jéssica Andrade x Valerie Letourneau
 
CARD PRELIMINAR

Peso-pena: Godofredo Pepey x Dashon Johnson
Peso-meio-médio: Igor Araújo x George Sullivan
Peso-leve: Francisco Massaranduba x Efrain Escudero
Peso-meio-médio: Paulo Thiago x Sean Spencer
Peso-galo: Rani Yahya x Johnny Bedford

Por: Marcelo Russio/Combate
Foto: Marcelo Russio

Nenhum comentário:

Postar um comentário