segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Cigano aprova retorno em evento do UFC no México: 'Seria especial'

O ano de 2013 não está sendo como Junior Cigano esperava. Ainda sem atuar na temporada, o peso pesado conviveu com lesões e em outubro completa um ano desde seu último compromisso. No entanto, o ex-campeão dos pesados do Ultimate não abaixou a cabeça e viu pontos positivos na sua ausência. Atuando agora sob a bandeira da Nova União, ele ressalta as mudanças nos seus treinamentos, elogia o líder da equipe Dedé Pederneiras e já mira uma data para retornar: dia 15 de novembro, no UFC 180, que acontece na Cidade do México, onde a luta principal é a disputa de cinturão da divisão entre Cain Velásquez e Fabrício Werdum.

Em entrevista ao LANCE!Net, Cigano adianta que tem entrado em contato com a organização para informá-los quando estará apto novamente a lutar. Apesar de não ter nada confirmado, viu com bons olhos uma presença no card da primeira edição do UFC no México.

- Novembro é uma data boa. Se tudo ocorrer bem, seria uma boa data para eu retornar. Será a primeira vez de um evento no México e seria especial lutar lá, ainda mais com a disputa do cinturão da minha categoria no mesmo show. Pode ser uma boa opção, sim - disse ao L!Net.

Atrás da evolução como atleta, o atleta decidiu se mudar para o Rio de Janeiro e se juntar a José Aldo e companhia na equipe Nova União. Sobre esse primeiro período na academia, o lutador elogiou Dedé Pederneiras e garantiu estar explorando uma outra área no seu estilo: a estratégia.





- É uma equipe muito boa (a Nova União). O Dedé tem uma experiência grande, tanto que concorre todo ano no prêmio de "Melhor Técnico". É bom estar envolvido com todos eles. Acho que a principal característica do Dedé é trabalhar a estratégia e estou buscando melhorar muito nisso. Quero sempre evoluir em tudo - revelou o ex-campeão dos pesados do Ultimate.

Confira o bate-papo:
 
Você ficou dois meses sem treinar. Já tinha passado por tanto tempo de inatividade antes?
Nunca fiquei tanto assim fora, foi frustrante demais. Foi muito duro para mim. O mínimo de lutas que tinha feito em um ano eram dois e até agora não fiz nenhuma. Em outubro agora faço um ano sem lutar e isso me deixa agoniado demais. Mas estou voltando aos poucos, me readaptando aos treinamentos e em breve estarei pronto.

Quem seria o adversário que gostaria de enfrentar no seu retorno?
O mais correto seria eu enfrentar o Miocic mesmo, que é um grande atleta, vem de vitórias seguidas e íamos nos enfrentar em São Paulo. Essa questão do Overeem (provocações com o brasileiro) é que ele gosta de se promover, fala muito e acho que é como uma resposta aos fãs que cobram ele, já que em duas ocasiões que nos enfrentaríamos, uma ele foi pego no doping e a outra ele se machucou. Então futuramente vamos resolver essa situação, mas agora o adversário seria o Miocic mesmo.

Você perdeu a chance de lutar em São Paulo, quando se machucou. Não tem vontade de atuar no Maracanãzinho, em outubro?
Acho que fica cedo demais para atuar no Rio. Nem treinando forte eu estou ainda. Para voltar e competir em alto nível, preciso de mais um tempo e não quero forçar nada. Temos que ter a consciência que é a vida da gente, nosso trabalho. O atleta hoje em dia vive de resultados, então quero sempre ter os positivos e não vale a pena lutar por lutar, sem estar preparado 100%.

Por: Carlos Antunes/Lancenet
Foto: Fernando Borges

Nenhum comentário:

Postar um comentário