segunda-feira, 28 de julho de 2014

Belfort esbanja otimismo: "Brasil vai ter três cinturões do UFC este ano"

O MMA brasileiro teve sua contagem de cinturões do UFC reduzida a apenas um neste ano, após derrotas de Anderson Silva e Renan Barão, mas terá a oportunidade de recuperar dois no segundo semestre: Barão enfrenta TJ Dillashaw, o homem que o derrotou nos pesos-galos, em 30 de agosto, e Vitor Belfort encara Chris Weidman, atual campeão dos pesos-médios, em 6 de dezembro. Ao comentar a má fase dos lutadores do país em entrevista ao programa de rádio "Mundo da Luta" na noite deste domingo, Belfort esbanjou otimismo e afirmou que os brasileiros vencerão suas três lutas valendo títulos do Ultimate nos próximos meses - além dele e de Barão, José Aldo defende seu cinturão dos pesos-penas contra Chad Mendes no UFC 179, em 25 de outubro.

- Cada atleta tem seu tempo diferente. O esporte está em mutação. O importante é ver pelo lado positivo: vamos ter três conquistas brasileiras de cinturão este ano. O que posso fazer é dar meu máximo e representar meu país - declarou Belfort.

Após passar o fim de semana em San Jose, na Califórnia (EUA), onde acompanhou Gilbert Durinho em sua estreia no UFC, o peso-médio está retornando a Boca Raton, na Flórida, onde mora e treina. Porém, não parou de estudar seu próximo adversário, e envolveu a família inteira no processo.





- Lá em casa, estamos eu, Joana (Prado, sua esposa), Davi, Vitória e Kyara (seus filhos) estudando o jogo do Weidman. Todo dia o Davi vê alguma coisa, eu estou cercado de head coaches me dando o scout. Hoje já recebi as anotações do Davi - disse o peso-médio.

Vitor Belfort lembrou ainda que a luta contra Weidman cai no dia do aniversário de sua irmã, Priscila, desaparecida desde 2004, e que isso tornaria o combate ainda mais especial.

- Vou fazer essa luta em honra à memória da minha irmã. É só alegria - finalizou.

Por: Combate
Foto: Evelyn Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário