terça-feira, 29 de julho de 2014

Belfort diz que trocou TRT por "TNT" e que luta "em outra dimensão"

O lutador brasileiro Vitor Belfort está mais confiante do que nunca para sua luta pelo cinturão dos pesos-médios do UFC, programada para 6 de dezembro, contra Chris Weidman, em Las Vegas. Apesar de ter deixado a terapia de reposição de testosterona (TRT), banida pela Comissão Atlética do Estado de Nevada (NSAC) em fevereiro, o peso-médio carioca se diz mais forte que nunca. Em entrevista ao podcast "The MMA Hour", do site "MMA Fighting", nesta segunda-feira, Belfort se defendeu das críticas por ter conseguido uma licença de lutador apesar de ter sido flagrado acima dos limites de testosterona num exame antidoping surpresa realizado em fevereiro e disse que está preparado para a vida sem o tratamento.

- Primeiro, eu não tinha nenhuma substância ilegal no meu corpo. Nada estava errado. Todo mundo sabia que eu estava fazendo TRT. Nevada sabia disso. Eu poderia ter me negado (a fazer o exame surpresa), porque eu não tinha licença na época e eles me pediram para fazer. As pessoas fizeram isso se tornar um grande problema. Estou feliz que não é mais. As pessoas disseram que eu era isso e aquilo, que eu estava usando esteróides. Eu não estava usando esteróides, eu estava fazendo TRT. Não tinha substâncias ilegais no meu corpo. Estava limpo. Abri todos os meus exames. Eu fazia exames todas as semanas para ver onde meus níveis estavam. Quando você é honesto consigo mesmo, não tenta trapacear o sistema. Muitos caras só falam. Eu lido com tudo de forma verdadeira, abro minhas coisas pessoais. Quando você está em tratamento, seu nível sai (do normal) e isso virou um grande problema. Eu não estava roubando nem um pouco. Gastei muito dinheiro em exames em mim mesmo. É o que é. Já era. Nada mais de TRT. Agora, é TNT - disse Belfort.





Durante todo o ano de 2013, críticos duvidaram dos feitos de Belfort - três nocautes em três lutas, todos através de chute na cabeça - devido ao uso do TRT. O lutador brasileiro repetiu o mantra de que nenhuma substância o ensinara a dar chutes, socos ou posições no solo. Agora, com o anúncio da luta contra Weidman, Belfort é tido como "azarão" no combate. O carioca respeita seu adversário e fez questão de apontar que suas duas vitórias sobre Anderson Silva não foram mera "sorte", mas também deixou claro que se considera superior em todos os aspectos.

- (Vou batê-lo) Em todo lugar. Não é o melhor homem que vence, é quem joga melhor. Estou focado em me desenvolver. É uma ética de trabalho. Estou lutando em outra dimensão, então é como se eu estivesse enfrentando a mim mesmo todos os dias para melhorar. O que quer que pise naquele cage, quem quer que esteja do outro lado daquele cage, vou vencer. É assim que este esporte tem que ser. Você tem que ser confiante, mas não confiante demais e arrogante. Tenho confiança em mim mesmo - garantiu o peso-médio, ex-campeão dos pesos-meio-pesados.

Por: Combate
Foto: Evelyn Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário