sexta-feira, 4 de abril de 2014

De volta ao galos, Rani Yahya quer vencer a primeira por nocaute no UFC

Escalado para o UFC Fight Night 40, que acontece no próximo dia 11 de abril, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, Rani Yahya representa o Brasil contra o norte-americano Johnny Bedford, em duelo que marca o retorno do brasiliense aos pesos-galos (61kg). Dentre outras estrelas que compõem o card, o torneio terá na luta principal o duelo entre os pesos-pesados Rodrigo Minotauro e Roy Nelson.

Buscando recuperar-se da derrota sofrida no TUF Finale 18, em novembro de 2013, que interrompeu uma sequência de três vitórias consecutivas na maior organização de MMA do mundo, o atleta falou sobre a descida de categoria e sobre o alto nível de sua preparação. 

“Estou mental e fisicamente pronto para esse combate. Depois de ponderar junto a minha equipe, concluímos que meu tipo físico se ajusta melhora à categoria de peso galo (61kg). Na verdade, obtive os melhores resultados da minha carreira lutando nesse peso. Espero poder, a partir da próxima luta, voltar à boa sequência de vitórias que vinha fazendo no UFC. Meu camp foi todo realizado em Brasília, com a minha equipe Constrictor Team”, disse.

Feliz com a oportunidade de retornar aos Emirados Árabes Unidos, onde conseguiu importantes conquistas em competições de luta agarrada, Rani aproveitou para analisar as características de seu próximo oponente.





“Já fui campeão do maior evento de grappling do mundo, o ADCC, que justamente acontece em Abu Dhabi. Será o meu retorno a essa terra querida, que já me acolheu tão bem. Sobre minha próxima luta, sei que vou ter pela frente um cara muito duro, bastante experiente e frio. Ele é completo, por esse motivo vou buscar a estratégia certa na hora da luta, no momento oportuno. Pode ser em cima ou no chão, dessa vez estou preparado em todas as áreas. Que vença o leão que tiver mais vontade”.

Com um cartel 19 vitórias e oito derrotas, o lutador, que conseguiu 15 das vitórias por finalização, e nunca terminou uma luta por nocaute, fez questão de reafirmar sua vontade de melhorar em todos os aspectos da luta.

“Sempre treinei a parte de trocação, nunca deixei de fazê-lo. Acontece que no momento da luta a gente busca o que, naquela hora, é mais confortável e seguro para a gente, e o meu ponto forte é o solo. Não fugirei da trocação. Espero me apresentar bem e, quem sabe, vencer minha primeira luta por nocaute no dia 11”, explicou.

Por: Ag. Fight
Foto: Divulgação

Nenhum comentário:

Postar um comentário