terça-feira, 8 de abril de 2014

Cigano: ‘conto com o apoio da nossa torcida’

O catarinense Júnior Cigano dirigia pelas ruas do Rio de Janeiro quando recebeu a notícia de que faria a luta principal do TUF Brasil 3 - Finale, dia 31 de maio, em São Paulo, contra o americano Stipe Miocic - o confronto estava agendado para 23 de maio, em Las Vegas, mas foi adiado em uma semana depois que a luta entre Wanderlei Silva e Chael Sonnen foi alterada para 5 de julho, em Las Vegas.

“Espero retomar o caminho das vitórias, contando com o apoio da nossa torcida. Vai ser uma emoção diferente, que ainda não senti como lutador do UFC”, disse o ex-campeão, que vem da segunda derrota para o atual detentor do título, Cain Velásquez.

Depois do último resultado negativo, Cigano decidiu que deveria expandir horizontes e deixar de treinar apenas em Salvador. Países como Rússia e Estados Unidos foram cogitados, mas ele encontrou bom ritmo de treino no Rio de Janeiro, alternando entre Team Nogueira e Nova União.





Essa última academia é liderada por um dos melhores treinadores do Brasil, Dedé Perneiras, conhecido pela elaboração de boas estratégias e a formação de campeões como José Aldo e Renan Barão. “É impressionante como ele consegue tratar todos os lutadores da mesma forma, ele realmente ama o que faz”.

Como você ficou sabendo que lutaria no Brasil? Qual foi a sensação?
Estava dirigindo quando vi que o Joe Silva (responsável por casar as lutas) estava me ligando, segunda-feira à noite, Parei o carro e ele disse que queriam mudar minha luta para São Paulo, uma semana depois da que seria em Las Vegas. Sempre expressei minha vontade de lutar no meu país, já queria isso há muito tempo. Espero retomar o caminho das vitórias, contando com o apoio da nossa torcida. Vai ser uma emoção diferente, que ainda não senti como lutador do UFC.

Como estão os treinos no Rio de Janeiro?

Divido minha semana entre a Team Nogueira e Nova União. Aproveitei que o professor Luiz Dórea estava fazendo a preparação com o Rodrigo Minotauro (que luta nesta sexta, contra o americano Roy Nelson) na Team Nogueira, mas a maioria dos meus treinos tenho feito na Nova União mesmo. Estou aprendendo muita coisa, para tentar ser um lutador melhor e começar o trabalho de reconquistar o cinturão.

E sua relação com o Dedé Pederneiras, como é treinar com alguém que realmente pensa em estratégia de luta?

Nossa tática para a próxima luta ainda esta sendo formulada. A experiência do Pederneiras é muito grande, e a estrutura é excelente. Ele presta atenção em cada detalhe do treino, que tem um ritmo muito intenso. Ainda estou fazendo alguns ajustes para saber o que realmente é importante para mim. Fiquei impressionado como ele (Pederneiras) consegue tratar todos os lutadores da mesma forma, ele realmente ama o que faz.

O que mais mudou na sua preparação com relação às últimas lutas?

São novas experiências, que trazem coisas diferentes. Ainda comparo com os treinos antigos, vendo onde estou evoluindo. O treino na Nova União é muito duro, chego em casa satisfeito, com a sensação de ter dado o máximo. Estou aprimorando bem minha técnica de wrestling, que é super importante. 

Por: Davi Correia/UFC Brasil
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário