quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Mesmo com 'gancho' de seis meses, Lyoto prevê volta aos treinos em 20 dias

Na tarde de ontem a Comissão Atlética Brasileira de MMA divulgou a lista das suspensões médicas dos lutadores que participaram do UFC Fight Night 36, em Jaraguá do Sul (SC), no último sábado. E quem liderava a lista era justamente o astro principal do evento, Lyoto Machida, que levou um gancho de 180 dias por conta de uma possível lesão no pé.

Entretanto, no que depender do carateca, ele ficará bem menos tempo do que isso no estaleiro. Machida afirmou ao "Sportv" que já fez um exame raio-X e entregou ao médico da comissão para comprovar que não houve nada sério, ou seja, ele poderá voltar aos treinos em alguns dias.

"Se você não for fazer o raio-X e entregar para a comissão a tempo, você pega 180 dias. Mas eu tomei a providência de procurar um médico, o Dr. Tanure, que é o médico oficial da comissão. Ele viu que eu não tenho nada grave e me deu uma suspensão de 30 dias. Mesmo assim, acho que em 15 ou 20 dias eu estou pronto para treinar", afirmou o ex-campeão dos meio-pesados do UFC.





A suspeita era que Lyoto pudesse ter fraturado o pé esquerdo após a vitória por decisão unânime diante de Gegard Mousasi. O triunfo, aliás, foi o segundo do brasileiro na categoria dos médios, o que o deixou bem próximo do cinturão. Mas, de acordo com o próprio lutador, um combate antes do title-shot não seria descartável.

"Já me firmei nos médios e agora estou esperando a disputa pelo cinturão ou uma luta antes também. O importante para um atleta é estar lutando, estar em ação. Muito mais até do que disputar um cinturão", disse.

Uma das possibilidades é encarar o compatriota Ronaldo 'Jacaré', que também esteve em ação no UFC Jaraguá 2 e também venceu por decisão unânime o seu adversário, Francis Carmont. Lyoto também não descartou essa possibilidade.

"O confronto entre brasileiros é inevitável. Tem muitos brasileiros bons nessa categoria. Por um lado é bom, mas por outro nem tanto, porque você acaba tendo que enfrentar um compatriota, mas faz parte da profissão. Temos que encarar como algo natural", concluiu.

Por: Ag. Fight
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário