terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Francisco Massaranduba: A vida está boa

A vida está boa estes dias para Francisco Trinaldo. Note que eu não escrevi 'mais fácil', porque a vida como um lutador profissional é sempre difícil.

Mas quando você veio das profundezas da pobreza como "Massaranduba", chegou ao auge de sua profissão, e ter dinheiro suficiente no bolso para, finalmente, viver confortavelmente, o trabalho duro é um preço que ele sempre estará disposto a pagar.

"Minha vida mudou muito", disse ele da vida no UFC. "Eu tenho melhores condições financeiras, mas isso ainda não é uma vida fácil, e treino muito todos os dias."

Hoje em dia, Massaranduba vem se preparando para sua primeira luta de 2014 contra Jesse Ronson no UFC Fight Night, em Jaraguá do Sul, em 15 de fevereiro. É a sexta luta desde que saiu da primeira temporada do The Ultimate Fighter Brasil, e ao mesmo tempo ele tem sido errático em postar um cartel de 3-2, isso não impediu que os fãs em seu país natal de ficarem a seu lado.





"Isso me deixa muito feliz", disse ele de seus crescentes fãs. "É muito bom ter o apoio dos fãs. Eu luto por eles."

Dá para ver, e depois de uma derrota por decisão para o compatriota Gleison Tibau, em outubro de 2012, Massa teve uma sequência boa, com vitórias por finalização sobre CJ Keith e Mike Rio no ano passado. Ele parecia estar a caminho de uma terceira consecutiva, quando Piotr Hallman venceu a luta de setembro e surpreendeu o brasileiro em casa com uma finalização (kimura).

"Aprendi a ouvir meus treinadores", disse ele das lições tiradas dessa luta. "Treinei duro para essa luta e perdi, porque treinei demais, mas não estou tirando os méritos do Hallmann, ele é um grande lutador."

Essa explicação faz muito sentido, porque, com o tanque de gasolina do agressivo Trinaldo vazio, Hallmann aproveitou e terminou a luta. Porém, o hábito de trabalhar duro na academia e nas lutas não é fácil de ser quebrado, já que foi assim que ele chegou aqui.

Ele tinha 23 anos, um início tardio, para dizer o mínimo, de alguém que aspira a um dia chegar ao UFC, mas ele perseverou, manteve empregos como guarda, trabalhador de campo, e pizzaiolo para ajudar a dar conta das despesas, e 13 anos depois, o canhoto de 35 anos alcançou seu sonho, ou pelo menos a primeira parte dela.

"Eu sempre soube que chegaria ao UFC, e trabalhei duro para isso", disse ele. "Devemos sempre ter fé e acreditar que tudo vai dar certo no final."

E deu, apesar de Trinaldo não ter intenção de desacelerar tão cedo.

"Este ano eu quero ter apenas vitórias, e também quero lutar pelo menos três vezes."

Quanto ao que acontece depois disso, vamos ver, mas quando questionado sobre voltar a um de seus bicos, ele diz que pode fazer um eventual retorno.

"Eu ainda tenho planos de abrir uma pizzaria no Brasil", ele ri, dizendo a um nova-iorquino que a pizza que ele costumava fazer era muito boa. "Mas só quando eu me aposentar."

Por: UFC
Foto: Marco Dutra e Erik Engelhart

Nenhum comentário:

Postar um comentário