quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

De olho no cinturão, Demian Maia diz que vai lutar 'em casa' no UFC 170

Lutando em casa. É assim que o brasileiro Demian Maia vai se sentir quando entrar no octógono no próximo sábado para enfrentar o canadense Rory MacDonald pelo UFC 170, que acontece no Mandalay Bay Events Center, em Las Vegas, EUA.

- Eu adoro lutar aqui, já lutei cinco vezes e sempre venci. Já treinei muito aqui com o Wanderlei Silva também, então tenho boas memórias. Fora que a torcida brasileira é fenomenal. Eles vêm aqui para Las Vegas, lotam a arquibancada. A última vez que lutei aqui no Mandalay foi contra o Jon Fitch e, mesmo quando eu enfrentei o Dong Hyun Kim, no MGM, eu vi uma coisa impressionante, parecia que eu estava lutando no Brasil por conta da quantidade de brasileiros. Eram gritos, coros, isso é muito legal - declarou Demian em entrevista ao Combate.com, depois de uma sessão de treinos na terça-feira à noite.

O brasileiro, aliás, estava com um leve hematoma abaixo do olho direito e um pequeno machucado na altura da testa, reflexo das sessões de sparring durante a preparação para o duelo:

- Na verdade, foi coincidência. O treino é sempre duro, mas às vezes acontece. Eu dei uma ralada aqui e levei um soco no olho um dia…Mas é normal. Todo treino é duro, às vezes a gente sai com alguma marca, às vezes não - justificou.

Aos 36 anos de idade, o paulista ocupa a posição número seis no ranking oficial da categoria e vem de revés para Jake Shields na decisão dividida dos juízes no UFC Barueri, em outubro do ano passado. Apesar de o duelo não ter tido o desfecho que gostaria, Demian sabe que foi uma luta bastante equilibrada. Justamente por isso, ele buscou trabalhar os erros que tiraram a vitória de suas mãos no combate.





- Foi uma luta muito difícil para mim, porque eu estava no Brasil, estava fazendo o evento principal da noite e perdi em uma decisão dividida para ele. E acho que uma das piores derrotas que você pode ter é uma decisão dividida, porque você sabe que, por muito pouco, o juiz decidiu para um ou para outro. Então, eu revi a luta algumas vezes, mas não adianta, você tem que voltar, treinar e fazer o que todo mundo fala: rever o que você errou. Eu vi algumas coisas que eu realmente fiz errado e que dá para melhorar e vou enfrentar outro adversário duríssimo este sábado, então o foco é no Rory. Mas o Jake Shields é um cara que muita gente não dá o devido valor, só que ele sabe ganhar as lutas muito bem, daquele jeito dele, pontuando, mas ele em geral vence.

Coincidentemente, Rory MacDonald, adversário de Demian neste sábado, também vem de derrota por decisão dividida. Considerado uma das grandes revelações do UFC, o canadense, que é nove anos mais novo do que o brasileiro e é parceiro de treino de Georges St-Pierre, perdeu o combate para Robbie Lawler, em novembro passado, no evento de 20 anos do Ultimate, e atualmente ocupa a quarta posição no ranking da divisão.

- Um adversário do nível do Rory é sempre perigoso, principalmente vindo de uma derrota, porque ele quer dar a volta por cima. E ele  é um excelente atleta, então isso torna a luta mais perigosa ainda. Mas eu também estou com a mesma vontade e, certamente, nós dois vamos nos empenhar até acima do normal para conseguirmos a vitória.

Maia sabe que uma vitória sobre Rory pode colocá-lo novamente no bolo pela disputa do cinturão. Isso porque a divisão dos meio-médios está sem campeão definido desde que GSP anunciou que daria uma pausa na carreira. Sendo assim, Johny Hendricks e Robbie Lawler disputam o título no próximo dia 15 de março em Dallas e, quem vencer, enfrentará o vencedor de Carlos Condit x Tyron Woodley.  Demian, no entanto, não tem pressa e sabe que a experiência será um grande diferencial a seu favor:

-  O mais importante é que, com os anos de experiência, você vai entendendo como se focar, como não cair em armadilha, como não relaxar, como manter o equilíbrio entre a tensão e o relaxamento. Isso você vai ganhando com os anos e a gente vai trabalhando isso no camp, não adianta querer fazer isso na semana da luta - diz, confessando que, mesmo com 18 vitórias e cinco derrotas no cartel, ainda sente um frio na barriga quando entra para lutar:

-  Eu já subi muitas vezes ali, então eu sei como é, o que não quer dizer que a gente não fica sempre muito tenso quando vai subir no octógono. Mas eu estou confiante de que vai dar tudo certo - finaliza.

O canal Combate transmite o UFC 170 ao vivo neste sábado, com exclusividade, a partir das 21h30m (horário de Brasília), e o Combate.com acompanha tudo em Tempo Real, com vídeo ao vivo da primeira luta do card preliminar, entre os pesos-leves estreantes Ernest Chavez e Yosdenis Cedeno. Na sexta-feira, site e canal exibem ao vivo a pesagem oficial, a partir de 21h. Confira o card completo:

UFC 170
22 de fevereiro de 2014, em Las Vegas (EUA)
 
CARD PRINCIPAL

Peso-galo: Ronda Rousey x Sarah McMann
Peso-meio-pesado: Daniel Cormier x Patrick Cummins
Peso-meio-médio: Rory MacDonald x Demian Maia
Peso-meio-médio: Mike Pyle x T.J. Waldburger
Peso-meio-médio: Robert Whittaker x Stephen Thompson
 
CARD PRELIMINAR

Peso-galo: Alexis Davis x Jessica Eye
Peso-galo: Raphael Assunção x Pedro Munhoz
Peso-galo: Cody Gibson x Aljamain Sterling
Peso-mosca: Zach Makovsky x Josh Sampo
Peso-leve: Rafaello Oliveira x Erik Koch
Peso-leve: Ernest Chavez x Yosdenis Cedeno

Por: Evelyn Rodrigues/Combate
Foto: Evelyn Rodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário