sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Dana White explica que Ultimate não terá uniformes obrigatórios

Na semana passada, o ex-peso médio do UFC, Nate Quarry, foi a um fórum de MMA dar detalhes das dificuldades que os lutadores do Ultimate enfrentam para poder garantir valores mais altos de bolsa e patrocínio. O motivo teria sido a possibilidade de o UFC adotar em breve uniformes para os lutadores, o que limitaria as opções de patrocínio, entre outras coisas. Em um texto bastante detalhado, o lutador falou sobre os problemas de negociações sobre valores e chegou a afirmar que os lutadores são tratados como produtos descartáveis pela organização.

“As pessoas de fora não sabem como é lutar para o UFC. Somente depois de dez, 15 anos perseguindo o seu sonho é que você percebe que a companhia não se importa em nada com os lutadores e apenas com o lucro final”, escreveu ele em um dos parágrafos.

Nesta quinta-feira, o presidente do UFC, Dana White, respondeu às críticas de Quarry em tom ameno:





- Você nunca vai me ouvir falando nada negativo sobre nenhum dos caras da primeira edição do TUF. Eu amo todos eles, respeito todos eles, sempre tive uma excelente relação com o Nate Quarry. Lorenzo disse melhor: “Infelizmente o Nate lutou em uma época em que nós estávamos com 44 milhões de dólares no buraco”. O esporte se desenvolveu tanto desde então. Muitas coisas negativas aconteceram nas últimas semanas, mas nós fizemos muita coisa positiva nos últimos 13 anos, mesmo quando olhamos para o que os irmãos Fertitta fizeram e o dinheiro que eles colocaram. Agora é fácil dizer: “Ah vocês investiram 44 milhões, hoje valem alguns bilhões”. Mas naquela época, nós estávamos muito próximos de ir à falência e eu cheguei a achar que nós nunca recuperaríamos os 44 milhões - declarou o chefão.

White também fez questão de esclarecer que não existe nenhum projeto em andamento do Ultimate sobre instituir uniformes para os lutadores:

- Alguém me fez uma pergunta em uma dessas coletivas e eu respondi que achava interessante. Mas não há nenhum acordo para implementarmos uniformes e, se um dia houver, pode ter certeza de que vamos trabalhar de uma forma que seja bom para todo mundo.

Quarry tinha 32 anos de idade quando entrou para a primeira edição do The Ultimate Fighter nos EUA  e lutou na organização de 2005 a 2010. Apesar das críticas à organização, o atleta também deixou claro no texto que é muito grato por tudo o que a organização proporcionou à sua vida:

“Eu amo o que o UFC fez por mim e pela minha família e o que o Dana White fez por mim, mas eu também sei que isso é um negócio e esse é o melhor conselho que posso dar a quem quer vir a ser um lutador. Lute pelo amor ao jogo, mas trate isso como negócio, pois o promotor certamente fará isso”, finalizou.

Por Evelyn Rodrigue/Combate
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário