domingo, 23 de fevereiro de 2014

Dana: Cyborg precisa bater peso e estar saudável para lutar com Ronda

O desabafo de Cris Cyborg em comunicado oficial neste sábado, incluindo desafio a Ronda Rousey, não passou despercebido pela direção do UFC. Após a atual campeã dos pesos-galos femininos defender seu cinturão pela terceira vez consecutiva na organização, com um nocaute técnico contra Sara McMann na noite de sábado, o presidente do Ultimate, Dana White, comentou a carta e se mostrou ainda disposto a contratar a brasileira para enfrentar a estrela em ascensão da companhia. Entretanto, fez uma ressalva: ela precisa provar que está em condições de lutar na categoria de Rousey, até 61,2kg, após dizer que correria risco de morte se baixasse de peso.

- Cyborg tem que bater o peso e fazer algumas lutas em algum outro lugar e, se ela estiver saudável, nós podemos chegar a um acordo. Teremos que ver essa coisa de contrato e etc, porque o que ela disse sobre "morrer" se descesse de peso está registrado, mas eu estou aberto - afirmou Dana White na coletiva de imprensa pós-luta do UFC 170.

Logo depois da coletiva, o dirigente se aprofundou sobre Cyborg. Ele afirmou que a brasileira não receberia uma chance imediata de disputar o cinturão contra Rousey, e ainda expressou preocupação de que a brasileira não seja pega novamente no exame antidoping, como aconteceu em sua última luta pelo Strikeforce, em dezembro de 2011. Recentemente, Dana White disse que duvidava que a brasileira não usasse esteróides.





- Se ela continuar limpa e fizer algumas lutas nos pesos-galos, estiver saudável e segura, e têm que ser lutas que contam. Ela pode fazer algumas lutas nos 61,2kg, mas não vai chegar e passar por cima de todas as garotas que já estão no UFC para lutar com a Ronda. Isso não faz sentido - disse White. Ele ainda explicou suas reclamações sobre Tito Ortiz ser empresário de Cyborg e negou que sua rixa com o ex-lutador impedisse a contratação da brasileira, apenas que considerava que ele tinha atrasado a vida da lutadora. Recentemente, Cris Cyborg rompeu com Ortiz.

- Não é o fato do Tito ser o empresário dela ou não. Ele não é empresário, ele colocou a sua própria carreira na lama, entende? As coisas que ele disse, aquela coletiva de imprensa infame que ele teve naquele dia, foi isso que acabou prejudicando tanto a carreira dela. Não é sobre o Tito. Ele e eu tivemos uma "relação carinhosa" por muito tempo e ele ainda assim lutou no UFC, e nós ainda assim fechamos negócio. Ele não é um homem de negócios, não é alguém que deveria cuidar da carreira de ninguém. Quanto tempo ela perdeu até agora? É culpa dele. Nesse meio, você não tem tempo para perder, você tem que aproveitar todas as oportunidades e fazer o máximo de dinheiro que você puder. Eu estou assumindo que ele jogou fora dois anos da carreira e da vida dela. Eu não tenho nada contra a Cyborg. Ela foi colocada nessa caixa que o Tito criou e isso a prejudicou muito dizendo que se ela descesse para os pesos-galos ela iria morrer. O médico disse isso, o médico disse aquilo, o médico fez isso…Quem quis aquela luta antes de tudo nos pesos-galos? Não fui eu - declarou.

Cyborg, por sua vez, não perdeu tempo: foi ao Twitter pressionar Dana White por uma luta contra Ronda Rousey e deu até a data que queria.

- Estou feliz que Ronda Rousey venceu, agora posso chutar seu traseiro em dezembro. Faça acontecer, papai Dana - escreveu a brasileira.

Cat Zingano é primeira da fila

Rousey não comentou o caso. Quando questionada sobre quem poderia ser sua próxima oponente no UFC, respondeu que seria a americana Cat Zingano, invicta em oito lutas e que conquistou a posição de desafiante número 1 com uma vitória sobre Miesha Tate em abril do ano passado. Todavia, uma lesão no joelho a tirou de atividade pelo resto de 2013, e a lutadora, quando voltava a treinar, teve que lidar nos últimos meses com a morte de seu ex-marido, o brasileiro Maurício Zingano. White concordou com Rousey que Zingano seria a próxima da fila, mas não falou nada sobre prazos para seu retorno.

Também presente à mesa de coletiva, a canadense Alexis Davis não quis saber das declarações e pediu por uma chance de desafiar Rousey. Neste sábado, ela conquistou sua terceira vitória seguida no UFC, com a decisão dividida contra Jessica Eye.

- Eu tenho lutado por tanto tempo, e quem mais tem 3-0 no UFC, tirando a garota que está sentada aqui ao meu lado (Ronda)? Foi uma grande vitória para a Ronda e ela tem muitas coisas acontecendo, mas eu quero aquela disputa de título - afirmou Davis.

Por: Evelyn Rodrigues /Combate
Foto: Divulgação e Getty Images

Nenhum comentário:

Postar um comentário