sábado, 15 de fevereiro de 2014

Com 54 vitórias somadas, Lyoto e Mousasi lutam por disputa de cinturão

Se para Gegard Mousasi a luta deste sábado, em Jaraguá do Sul, representa apenas seu segundo passo no UFC, para Lyoto Machida o duelo tem uma importância bem maior. Ex-campeão dos pesos-meio-pesados, o brasileiro busca diante do iraniano naturalizado armênio uma vitória que o colocará muito provavelmente como o próximo desafiante ao cinturão dos pesos-médios, contra o vencedor da luta entre Vitor Belfort e o campeão da categoria, Chris Weidman, no UFC 173, que acontece em maio. Com 54 vitórias somadas em suas carreiras no MMA (34 de Mousasi e 20 de Lyoto), os dois estão entre os principais nomes da divisão. O combate é o principal do UFC Fight Night no Combate: Machida x Mousasi, que vai ao ar ao vivo e com exclusividade no canal Combate a partir de 22h (horário de Brasília).

Com base sólida de caratê, Lyoto Machida vem de uma vitória espetacular em sua estreia na categoria dos médios, vencendo por nocaute seu amigo Mark Muñoz. A vitória, devastadora, deu impulso ao nome do brasileiro como um dos mais perigosos lutadores da divisão. Se arrasou o wrestler Muñoz anteriormente, Lyoto terá pela frente neste sábado um trocador nato, que jamais foi nocauteado, tanto como lutador de muay thai, quanto no MMA. Mousasi tem no currículo mais de 100 combates na luta tailandesa, e no MMA está invicto desde 2010, com apenas uma derrota em suas últimas 23 lutas.

- Acho que será uma luta estudada, em que cada lutador terá a sua estratégia própria. Vou buscar impor o meu jogo, e se ele não atacar, serei obrigado a ir para cima e tomar a iniciativa da luta. Acho que, se tudo correr como esperamos, será uma boa chance de colocar o meu trabalho em prática e ir para o nocaute. Eu e o Mousasi já lutamos entre os meio-pesados, e descer para os médios torna a luta mais rápida. Esse aumento de velocidade é bom para o público - disse Machida.

Mousasi vem mostrando muita descontração em Jaraguá e parece olhar para o duelo com um certo ar de desdém, mostrando não estar impactado por encarar um dos lutadores mais perigosos do MMA mundial.

- Nesta altura da minha carreira, nada mais me intimida. Para mim, é mais uma luta. Respeito Lyoto Machida, mas vou buscar nocauteá-lo - afirmou Mousasi.

Jacaré encara pupilo e amigo de Georges St-Pierre

Na penúltima luta da noite, os também pesos-médios Ronaldo Jacaré e Francis Carmont fazem um duelo de força e estilos diferentes. Mais alto que o brasileiro, Carmont é conhecido pelo estilo de luta similar ao de seu amigo e companheiro de treinos, Georges St-Pierre, buscando o encurtamento de distância e o jogo de chão. Já Jacaré, campeão mundial de jiu-jítsu e um dos maiores talentos da luta agarrada no mundo, vem aperfeiçoando a sua trocação, mas não descarta buscar a finalização, caso apareça a chance.

- Eu vou lutar para vencer. Acho que ele não vai querer ir para o chão comigo, mas se for, estarei preparado, porque ali é a minha casa. Mas tenho melhorado muito na luta em pé, e buscar o nocaute é uma possibilidade - contou o brasileiro.

Para Georges St-Pierre, que esteve com o francês na pesagem, e estará no seu córner no sábado, a força física de Carmont impressiona e pode lhe dar vantagem no duelo contra o brasileiro.

- Francis é uma das pessoas mais fortes que eu conheci na vida. Acho que ele não pode respeitar demais o chão de Jacaré. Se tiver que derrubá-lo, que derrube. A mentalidade vencedora éimportante em uma luta como essa - disse o lendário canadense.





Erick Silva busca reabilitação diante de Takenori Sato

A derrota para Dong Hyun Kim por nocaute no UFC: Maia x Shields, em outubro passado, foi um susto para Erick Silva. O lutador vinha de uma excelente vitória sobre Jason High e via a luta como um degrau importantíssimo em sua busca por um lugar na fila de desafiantes ao então campeão dos meio-médios, Georges St-Pierre. Passado o impacto da derrota, o capixaba terá pela frente em Jaraguá do Sul o japonês Takenori Sato, estreante no UFC. Com 17 vitórias, oito derrotas e sete empates na carreira, Sato veio ao Brasil acompanhado de Ryo Chonan, o último lutador a finalizar Anderson Silva.

- Quem é atleta sabe que uma derrota assim pode acontecer, e tanto eu quanto meus rivais treinamos para conseguir o nocaute, que não é nada mais que um segundo de falha minha e um segundo de percepção do meu rival. Não fiquei nada chateado, estou super tranquilo porque sei que fiz tudo corretamente nos treinos. A mão dele entrou, e eu sei que isso acontece no MMA. Se você piscar, o golpe pode entrar, e por isso não se pode ficar desatento um segundo sequer. A lição que ficou foi que eu tenho que ficar cada vez mais atento ao que o meu adversário fizer. A luta foi bonita, o Kim conseguiu conectar o golpe, e agora tenho que levantar a cabeça e partir para a próxima luta e nocautear meu adversário - disse o brasileiro.

Tímido e de poucas palavras, Sato não falou muito sobre sua luta, e preferiu apenas se dizer feliz por chegar ao maior torneio de MMA do mundo.

- Estou muito feliz de estar no UFC. O Erick Silva é um cara muito perigoso.

Além do Tempo Real, o Combate.com exibe em vídeo ao vivo a primeira luta do card preliminar, entre os pesos-penas Douglas D'Silva e Zubaira Tukhugov. Confira o card completo:

UFC: Machida x Mousasi
15 de fevereiro de 2014, em Jaraguá do Sul-SC
 
CARD PRINCIPAL

Peso-médio: Lyoto Machida x Gegard Mousasi
Peso-médio: Ronaldo Jacaré x Francis Carmont
Peso-meio-médio: Erick Silva x Takenori Sato
Peso-meio-médio: Viscardi Andrade x Nicholas Musoke
Peso-pena: Charles do Bronx x Andy Ogle
 
CARD PRELIMINAR

Peso-leve: Cristiano Marcello x Joe Proctor
Peso-leve: Rodrigo Damm x Ivan Batman
Peso-leve: Francisco Massaranduba x Jesse Ronson
Peso-galo: Iuri Marajó x Wilson Reis
Peso-pena: Felipe Sertanejo x Maximo Blanco
Peso-meio-médio: Ildemar Marajó x Albert Tumenov
Peso-pena: Douglas D'Silva x Zubaira Tukhugov

Por: Combate
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário