sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Aldo diz que defenderá cinturão mais uma vez antes de encarar Pettis

Apesar de muito aguardada, a superluta entre José Aldo e Anthony Pettis não deve acontecer em breve. Nesta quinta-feira, em coletiva de imprensa promovida pela TNT, que reuniu Aldo, Renan Barão e Junior Cigano, no Rio de Janeiro, o manauara comentou seu futuro no Ultimate. No evento, o campeão dos penas analisou seus últimos desempenhos pela organização e afirmou que deve realizar mais uma luta antes de encarar o "Showtime".

Aldo e Pettis já estiveram muito perto de se enfrentarem em agosto do ano passado, quando o americano desafiaria o brasileiro pela categoria dos penas, antes de tornar-se o campeão dos leves. Na ocasião, o duelo foi cancelado devido a uma lesão sofrida pelo americano e, agora, a superluta entre eles deve ser adiada pelo mesmo motivo, já que Pettis se recupera de uma cirurgia no joelho e não tem previsão para voltar ao octógono. Mesmo reforçando o desejo de encarar o "Showtime", Aldo não vê outra alternativa a não ser realizar outra luta nesse meio-tempo, novamente defendendo seu reinado.

- Minha vontade seria lutar contra o Pettis, mas parece que não vai acontecer agora porque ele está machucado. Com certeza vou lutar mais uma vez antes de enfrentá-lo. Mas, quem resolve isso é nosso general (Dedé Pederneiras). Se ele me colocar para lutar antes, vou lutar. O Dedé sabe lidar com isso - comentou o brasileiro.





Quanto à categoria em que a superluta aconteceria, Aldo mantém-se aberto a possibilidade de subir para os leves. Entretanto, o brasileiro já teme uma possível investida do Ultimate para que ele abra mão do cinturão dos penas, algo que o campeão não está disposto a fazer.

- Vão querer que eu abra mão do meu cinturão, mas isso não vou fazer. Batalhei muito para conquistar meu lugar aqui - declarou o atleta, que é o único campeão da história dos penas no UFC, com seis defesas de título.

Confira um bate-bola com José Aldo:

O que mudou das exibições do Aldo campeão do WEC para o campeão do UFC?
Primeiramente foi só a cor: antes era azul e agora é preto (risos). O Ultimate é uma coisa maior e todo mundo conhece o Aldo hoje em dia. Acho que o Aldo não caiu (de produção). Pode estar um pouco mais estrategista, mas ofensivo como sempre. Na última luta, ataquei bastante. A gente quer sempre nocautear, mas se o adversário ficar correndo fica difícil. Se você perder, ninguém vai lembrar, mas se você é o campeão, sempre vão lembrar de você. Quero continuar vencendo, não importa como.

Você já fez algum treino com o Cigano na Nova União?
Ainda não, graças a Deus, e nem quero (risos). Ele é peso-pesado. Tem que ser uns quatro para pegar ele. Ainda não tive a oportunidade de treinar com ele, mas a gente treina lado a lado. Acho que ele nao vai lutar com ninguém que tenha 1,70m (risos).

Você tem o sonho de lutar em um estádio aqui no Brasil?
Acho que lutar num estadio aqui, seria uma coisa magnifícia para um atleta. Sou um cara pilhado e, com a torcida vibrando, cantando, acho que passo até por cima do Bruce Buffer na hora.

Por: João Pedro Marins e Luis Fernando Coutinho/Lancenet
Foto: UFC

Nenhum comentário:

Postar um comentário